28°
Máx
17°
Min

Ata do Copom repete projeção do IPCA 2017 no cenário de referência em 4,5%

Ata do Copom repete projeção do IPCA 2017 no cenário de referência em 4,5%

A ata do Banco Central (BC) divulgada na manhã desta terça-feira, 6, repetiu as expectativas para a inflação de 2017 que foram divulgadas na semana passada, após a decisão do Comitê de Política Monetária (Copom) de manter a Selic em 14,25% ao ano. No cenário de referência, que utiliza taxas de câmbio e juros inalteradas em R$ 3,20 e 14,25% ao ano, a projeção de inflação está em torno de 4,5% e, no de mercado, próxima a 5,1%.

Tanto para 2016 quanto para 2017, o centro da meta de inflação perseguida pelo Banco Central é de 4,5%, com 2 pontos porcentuais de tolerância para este ano e 1,5 ponto porcentual para o próximo.

Na ata do encontro anterior do Copom, realizado em julho, o BC já informava que a previsão no cenário de referência apontava para a inflação em torno da meta de 4,5% em 2017. Naquela ocasião, o cenário de referência utilizava como parâmetro o câmbio a R$ 3,25 e a Selic a 14,25% ao ano.

No cenário de mercado, no entanto, a projeção estava em torno de 5,3% na reunião de julho. No Relatório de Mercado Focus divulgado nesta segunda-feira, 5, a mediana das previsões para o IPCA de 2017 caiu de 5,14% para 5,12%.

No comunicado que acompanhou a decisão do Copom da quarta-feira passada, dia 31, o colegiado condicionou o corte de juros a três fatores que "permitam maior confiança no alcance das metas para a inflação": a limitação do choque dos preços dos alimentos, a desinflação de itens do IPCA em velocidade adequada e a redução das incertezas sobre o ajuste fiscal.

Na ata de hoje, o Copom também repetiu a previsão contida no comunicado para a inflação em 2016. Tanto no cenário de referência quanto no cenário de mercado, a projeção para o IPCA neste ano está em torno de 7,3%. Na ata do encontro anterior, de julho, estava em 6,75%. Já a estimativa contida no último relatório Focus é de 7,34% para o IPCA em 2016.