22°
Máx
16°
Min

Atividade sobe a 42,2 pontos em fevereiro, mas segue em nível de baixa, diz CNI

A atividade industrial continua em queda no País, segundo a pesquisa Sondagem Industrial divulgada nesta quinta-feira, 17, pela Confederação Nacional da Indústria (CNI). O índice que mede a evolução da produção ficou em 42,2 pontos em fevereiro ante 39,7 pontos em janeiro. Embora maior que o observado no final do ano passado, destaca a CNI, o índice ficou abaixo dos 50 pontos, o que revela queda da produção, ainda que menos intensa do que no mês anterior.

A pesquisa revela ainda que o emprego industrial também cai menos em fevereiro do que em janeiro. O índice que mede a evolução do número de empregados aumentou de 41,4 pontos em janeiro para 42,8 pontos em fevereiro, também abaixo dos 50 pontos.

Na pesquisa, os índices de evolução da produção e do emprego variam de 0 a 100 pontos. Valores abaixo de 50 pontos indicam queda na produção ou no número de empregados.

Os estoques de produtos finais permanecem no nível planejado pela indústria, oscilando em torno da linha divisória de 50 pontos. O indicador de estoques recuou de 50,3 pontos em janeiro para 49,7 pontos em fevereiro.

O índice que mede o estoque efetivo em relação ao planejado passou de 54,6 pontos em janeiro para 54,2 pontos em fevereiro.

Capacidade instalada

A atividade industrial continua no piso histórico da Sondagem Industrial divulgada pela CNI, iniciada em 2011. A utilização da capacidade instalada permaneceu em 62% em fevereiro, pelo terceiro mês consecutivo. O resultado é quatro pontos porcentuais inferior ao registrado em fevereiro de 2015.

Expectativas

O empresário industrial mantém a visão de perspectivas negativas para os próximos meses, mas o pessimismo foi menor. Os índices de expectativa de demanda e de compras de matérias-primas subiram mais de 1 ponto entre fevereiro e março. "Com isso, passam a acumular crescimento de 5,1 pontos e 4,7 pontos, respectivamente, no primeiro trimestre de 2016", informou a nota da CNI.

O índice de expectativa de número de empregados também mostra crescimento: 0,9 ponto em março e 2,7 pontos no trimestre.

A Sondagem Industrial divulgada nesta quinta-feira foi feita entre os dias 1º e 10 de março, com 2.480 empresas.