28°
Máx
17°
Min

Avanço na produção não elimina perdas nem modifica trajetória de queda, diz IBGE

(Foto: Divulgação)  - Avanço na produção não elimina perdas nem modifica trajetória de queda, diz IBGE
(Foto: Divulgação)

A alta de 0,4% na produção industrial em janeiro ante dezembro de 2015 interrompe uma sequência de sete meses de resultados negativos. No entanto, o bom desempenho não altera a tendência de queda para o setor, afirmou o gerente da Coordenação de Indústria do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), André Macedo.

"Num primeiro momento, essa expansão de 0,4% pode ter relação com a própria base de comparação, na medida em que são sete meses seguidos de taxas negativas (junho a dezembro de 2015). Alguns setores estão com a situação mais normalizada em termos de estoque. E o período de férias mais intenso em dezembro do ano passado com algum tipo de retomada em janeiro também pode dar uma sinalização para explicar esse ligeiro acréscimo", disse Macedo.

Com a sequência de sete meses de resultados negativos, de junho a dezembro, a indústria acumulou uma perda de 8,7%. "Esse 0,4% não reverte a trajetória, não elimina a perda, não há nenhuma modificação dessa trajetória de queda que marca o setor industrial há algum tempo", declarou o gerente do IBGE. "É claro que é uma situação melhor do que uma manutenção da sequência de resultados negativos, mas não sinaliza mudança", completou.

Média móvel trimestral

O índice de Média Móvel Trimestral da indústria recuou 0,9% em janeiro ante dezembro de 2015. No mês anterior, a média móvel tinha sido de queda de 1,2%.

Bens de capital

A produção da indústria de bens de capital subiu 1,3% em janeiro ante dezembro de 2015, segundo o IBGE. Na comparação com janeiro de 2015, entretanto, os bens de capital despencaram 35,9%. No acumulado em 12 meses, houve queda de 27,0% na produção de bens de capital.

Em relação aos bens de consumo, a pesquisa registrou queda de 0,9% na passagem de dezembro de 2015 para janeiro de 2016. Na comparação com janeiro do ano passado, houve recuo de 11,9%. No acumulado em 12 meses, a queda é de 9,9%.

Na categoria de bens de consumo duráveis, o mês de janeiro foi de queda de 2,4% ante dezembro, e recuo de 28,2% em relação a janeiro de 2015. Entre os semiduráveis e os não duráveis, houve avanço de 0,3% na produção em janeiro ante dezembro, e recuo de 7,2% na comparação com janeiro do ano passado.

Para os bens intermediários, o IBGE informou que houve crescimento de 0,8% em janeiro ante dezembro. Em relação a janeiro do ano passado, houve recuo de 11,9%. No acumulado em 12 meses, o instituto observou queda de 6,0%.

Revisões

O IBGE revisou o dado da produção industrial do mês de dezembro de 2015 ante novembro, de -0,7% para -0,5%, e de novembro ante outubro, de -2,3% para -2,4%. O resultado de outubro ante setembro saiu de -0,7% para -0,8%.

A produção de bens de capital também passou por revisão. A taxa de dezembro de 2015 ante novembro saiu de -8,2% para -8,5%.

A produção de bens intermediários foi revisada de 0,7% para 0,8% em dezembro ante novembro.

A produção de bens de consumo duráveis passou de 9,4% para 8,0% na mesma comparação, e a de bens de consumo semi e não duráveis, de 0,3% para 0,2%.