28°
Máx
17°
Min

Bancos e fiscos estaduais terão acesso mais rápido a declarações de importação

Os bancos e os fiscos estaduais terão acesso mais rápido às declarações de importação das empresas. A Receita Federal vai permitir um novo tipo de consulta da declaração, com garantia de autenticidade, sem a necessidade de impressão e transporte físico do documento.

Hoje, essa consulta, que serve de comprovação de que a importação foi efetivamente feita, só está disponível no Sistema Integrado de Comércio Exterior (Siscomex). Os importadores são obrigados a acessar o sistema e fazer a impressão do documento, que precisa ainda ser levado fisicamente a quem o requerer.

Segundo o subsecretário de Aduana e Relações Internacionais da Receita, Ronaldo Medina, a medida vai entrar em vigor na semana que vem com a edição de uma Instrução Normativa (IN). A Receita colocou a regulamentação da norma em consulta pública para receber sugestões até o dia 25 deste mês para logo a seguir publicar a IN que trata dessa nova forma de consulta da declaração.

Medina explicou que o importador muitas vezes tem que comprovar o negócio nas operações comerciais, como pedido de financiamento, e, com a medida, essa exigência ficará mais ágil e segura. "As operações relacionadas a câmbio o importador só consegue fazer levando a cópia física das declarações de importações. É um processo muito burocrático", disse Medina.

Ao preparar a regra, uma das preocupações da Receita era com a proteção das informações fiscais que estão no Siscomex. Por isso, o acesso será feito fora do sistema no Portal Único de Comércio Exterior. Para permitir a consulta das operações de importação, o importador terá que passar o números da declaração, do CNPJ e de um protocolo de consulta. Essas três informações são o que os técnicos chamam de "chaves" de segurança para o acesso à declaração. "Conseguimos conciliar a segurança com a facilidade", disse o subsecretário.

A consulta permitirá o acesso a todos os dados da declaração de importação, inclusive aqueles relativos aos aspectos cambiais da operação. Nesse sentido, poderá servir também como instrumento para as verificações que os bancos precisam fazer ao realizar operações de câmbio para o importador.