21°
Máx
17°
Min

Barbosa apresentará na China reformas fiscal e da Previdência

O ministro da Fazenda, Nelson Barbosa, apresentará a ministros e representantes da iniciativa privada na China as reformas fiscal e da Previdência, de acordo com nota divulgada pelo Ministério da Fazenda. Barbosa está no país para participar da reunião de ministros do G-20, de sexta a domingo. Antes do encontro do grupo, Barbosa terá conversas em Pequim com o ministro das Finanças da China, Lou Jiwei, e com investidores ligados a projetos de infraestrutura.

"O foco das reuniões do grupo, neste ano, é justamente a adoção das reformas estruturais para o crescimento econômico que estão sendo adotadas pelos países-membros do grupo", afirma o texto divulgado pela Fazenda.

Serão discutidos ainda o financiamento de projetos com baixa emissão de carbono e contra ações terroristas. Ao final da reunião, será emitido um documento com diretrizes para a reunião de presidentes do grupo, em setembro.

Agenda

Nesta terça-feira, 23, Barbosa se reunirá com o presidente da China Investment Corporation (CIC), Ding Xuedong. Na quarta-feira, 24, o ministro terá encontros com representantes da China Railway Construction Corporation e da China Railway Engineering Corporation, com o presidente da Sinosure, Wang Yi Sinosure e com o presidente do China Development Bank. O dia será encerrado com o encontro com o ministro das Finanças da China.

Na quinta, 25, Barbosa ainda se encontra em Pequim com o vice-presidente da National Development and Reform Commission (NDRC), Ning Jizhe, quando então parte para Xangai.

No primeiro dia do G-20, na sexta-feira, 26, Barbosa terá reunião com o vice-presidente do Novo Banco de Desenvolvimento (NDB), Paulo Nogueira Batista Júnior, e almoçará com representantes do banco. O ministro terá ainda reuniões com o secretário-geral da OCDE, Angel Gurría, e com o ministro das Finanças da África do Sul, Pravin Gordhan.

Barbosa participa no sábado, 27, da reunião ministerial do G-20 e tem ainda reuniões com o ministro das Finanças do Canadá, Bill Morneau, com o secretário do Tesouro Americano, Jack Lew, e com o comissário europeu, Pierre Moscovici.