27°
Máx
13°
Min

Base de assinantes da TIM cai 11,2% vai a 67,369 mi de linhas no 1º tri

A TIM encerrou o primeiro trimestre de 2016 com uma base de assinantes de 67,269 milhões de linhas, retração de 11,2% na comparação com o mesmo período do ano passado, mas alta de 1,6% frente aos três meses imediatamente anteriores.

A base de clientes pré-pagos somou 53,721 milhões no primeiro trimestre, marcando queda anual de 14,4%, mas alta trimestral de 2,0%. Já a base de pós-pagos atingiu 13,548 milhões, com elevação de 4,1% na comparação com o primeiro trimestre de 2015 e baixa de 0,2% frente aos três meses imediatamente anteriores.

A taxa de penetração de smartphones ficou em 68,1% no primeiro trimestre, de 55,1% no igual trimestre de 2015 e 67,6% no quarto trimestre do ano passado. Os usuários únicos de dados totalizaram 31,8 milhões de linhas, queda anual de 5,4%. Como porcentual da base total, os usuários únicos de dados aumentaram para 47% no primeiro trimestre quando comparado ao mesmo período do ano passado, de 44%.

A companhia explicou que, após o começo de 2015, os trimestres subsequentes apresentaram uma crescente deterioração nas desconexões em decorrência de uma significativa aceleração no processo de consolidação de múltiplos chips, impulsionada pela pressão macroeconômica e uma forte limpeza de base por parte de todas as operadoras.

A base de assinantes total com aparelhos de tecnologia 3G terminou o trimestre com 37,1 milhões de usuários, queda de 8,3% na comparação anual, de acordo com a empresa, "seguindo uma maior penetração de dispositivos 4G". Em relação à base 4G, o total foi de 9,2 milhões de usuários no primeiro trimestre de 2016, aumento de 28,8% em relação à base de quarto trimestre e aumento de 201% contra igual período do ano passado.

No trimestre, a base de clientes 4G aumentou em 2 milhões de linhas, seguindo os esforços da companhia para atrair usuários para a tecnologia LTE, que tem concentrado investimentos em cobertura e qualidade, informou a empresa.

A TIM ressaltou que ampliou seus resultados positivos em Portabilidade de Números Móveis pós-pago. Desde a adoção do novo portfólio de ofertas, lançado em novembro de 2015, e devido ao desempenho cada vez melhor, a companhia tem divulgado números de PNM positivos em todos os segmentos pós-pagos, revertendo anos de desempenho negativo. Também no pós-pago, as adições brutas cresceram 25% A/A no 1T16.

Adições

As adições líquidas totalizaram resultado negativo de 1,035 milhão de linhas no primeiro trimestre de 2016, contra 29 mil em igual período de 2015. O resultado reverteu as desconexões líquidas de 6,339 milhões nos três meses finais do ano passado. Já as adições brutas somaram 7,552 milhões de linhas, correspondendo a uma queda anual de 19,2% e queda trimestral de 8,4%.

Consequentemente, o churn (taxa que mede o número de clientes desligados da base de clientes) no primeiro trimestre de 2016 chegou a 9,5%, contra 12,3% em igual período do ano passado e frente a 20,3% no quarto trimestre.

Banda larga fixa

O serviço de banda larga fixa TIM Live encerrou o trimestre com mais de 255 mil clientes, que representou alta anual de 71%, e um mercado potencial de 2,1 milhões de residências, correspondente a elevação anual de 26%.

Dados

A TIM reiterou que os dados devem se tornar, no futuro próximo, a principal fonte de receita para a companhia, frente a voz. No primeiro trimestre de 2016, 47% da receita líquida do negócio gerado veio de dados, contra 39% em igual período do ano passado. Já a voz respondeu por 53%, na comparação com 61% em igual período do ano passado.

Os executivos da companhia têm dito que a transição de voz para dados como principal fonte da receita deve acontecer ainda em 2016.

Transição

Rodrigo Abreu, até então presidente da TIM, abriu sua apresentação sobre os resultados da empresa no primeiro trimestre com saudações à chegada no novo diretor presidente da companhia, Stefano de Angelis. Como anunciado na quarta pela TIM, Abreu está deixando o assento na diretoria e será substituído por Stefano de Angelis.

O executivo disse que já está concentrando esforços para rápida transição na diretoria nas próximas duas semanas e apontou que o novo diretor presidente tem bela história no grupo. Segundo Abreu, o executivo italiano se integrará rapidamente para a jornada de transformação da TIM.

Stefano de Angelis ocupava o chefia de serviços de consumo e PME na Telecom Italia, e já passou pelo assento de diretor financeiro da TIM no Brasil entre 2004 e 2007. O executivo italiano também ocupou anteriormente a presidência da diretoria da Telecom Argentina.