27°
Máx
13°
Min

BC da Nigéria eleva taxa de juros a 14% em meio ao PIB fraco e alta inflação

O Banco Central da Nigéria elevou nesta terça-feira sua principal taxa de juros de 12% para 14%, em um momento em que o país luta contra um encolhimento da economia, alta inflação e colapso de sua moeda.

A decisão de hoje foi a primeira desde que o BC decidiu abandonar sua política de atrelar sua moeda, a naira, ao dólar no mês passado, passando a variar conforme flutuações de mercado. Durante mais de um ano, a instituição manteve a moeda no nível de 197 nairas por dólar. Desde então, a naira perdeu mais de um terço do seu valor em comparação com o dólar americano. Antes da decisão, a taxa era negociada a 306 nairas por dólar, de acordo com o CQG.

O Produto Interno Bruto (PIB) da Nigéria encolheu 0,4% no primeiro trimestre e o Fundo Monetário Internacional espera uma contração de 1,8% neste ano. A queda nos preços do petróleo desde 2014 e os ataques de militantes a oleodutos e plataformas no Delta do Níger têm atingido a economia e a renda do governo.

"É improvável que a economia se recupere fortemente no segundo trimestre, uma vez que os retrocessos no setor de energia continuam", disse o presidente do BC, Godwin Emefiele.

Emefiele disse que o comitê de política monetária do banco tinha lutado com a possibilidade de elevar os juros para combater a inflação elevada ou manter as taxas em espera para ajudar o crescimento econômico. Os preços ao consumidor aumentaram em 16,5% em junho ante o ano anterior.

No final, Emefiele disse que cinco membros do comitê votaram a favor de elevar a taxa de juros, enquanto três votaram contra. "A decisão vai ajudar a criar atividade e assegurar a estabilidade dos preços e garantir o crescimento no longo prazo", disse ele.

O ministro das Finanças da Nigéria, Kemi Adeosun, disse na semana passada que o país estava "tecnicamente em recessão" e que o governo estava olhando para gerar receitas a partir de outras fontes além do petróleo. Fonte: Dow Jones Newswires.