21°
Máx
17°
Min

BNDES libera no dia 29 última parcela de R$ 444 mi para Linha 4 do metrô do Rio

Correndo contra o tempo para concluir a implantação da Linha 4 do metrô carioca para os jogos olímpicos, o governo do Rio obteve nesta sexta-feira, dia 26, aprovação da Secretaria do Tesouro Nacional (STN) para liberação da última parcela do financiamento do Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) ao projeto. A previsão é que o valor de R$ 444 milhões seja liberado na próxima segunda-feira. Ao todo, o banco financiou R$ 6,6 bilhões à obra, o maior financiamento para projeto único concedido a um Estado.

Na manhã desta sexta-feira, o governador do Rio afirmou que já tinha assinado a ordem de liberação do empréstimo. A aprovação, pela STN, era aguardada desde setembro do ano passado. Na última semana as autoridades cariocas chegaram a afirmar que, sem os recursos, a obra prevista na matriz de responsabilidades para os Jogos Olímpicos poderiam não ser concluídas a tempo. Ao todo a obra está orçada em R$ 10,3 bilhões e tem também financiamento do Banco do Brasil no valor de R$ 1,6 bilhão.

"A assinatura volta ao Tesouro Nacional para ser publicada e será liberada na semana que vem. A obra está em pleno vapor", afirmou o governador, em solenidade na manhã desta sexta. O metrô terá 16 km de extensão ligando a Zona Sul à Barra da Tijuca, na zona oeste da cidade, onde ocorrem as principais competições das Olimpíadas. A previsão de entrega é para julho - um mês antes dos jogos - mas ainda faltam cerca de 200 metros de escavação em túneis e a instalação de três quilômetros de trilhos.

Segundo reportagem do jornal O Globo, o prefeito do Rio, Eduardo Paes, já teria elaborado um plano de contingência para o caso de as obras não serem concluídas a tempo. Em e-mail obtido pela publicação, o prefeito teria reconhecido a agentes do Comitê Olímpico Internacional (COI) que o projeto tem "risco elevado" de não ser finalizado a tempo. As alternativas em estudo seriam a operação parcial da linha e a liberação de vias exclusivas para ônibus.

Além do valor já aprovado, o banco ainda vai analisar um novo pedido de R$ 900 milhões para o projeto. Os recursos suplementares foram requisitados pelo governo do Rio para concluir trechos da obras que não estão relacionados aos Jogos Olímpicos, como a estação Gávea, na zona Sul. Para os jogos, estão previstas cinco estações: Praça Nossa Senhora da Paz, em Ipanema, Jardim de Alah e Antero de Quental, no Leblon, São Conrado e Jardim Oceânico.

A expectativa de fluxo durante a competição é de cerca de 27 mil pessoas. Após o evento, a previsão é que a linha 4 receba diariamente 300 mil pessoas. Ao todo, o metrô da capital fluminense passará a contar com quase 60 km de extensão com a nova linha, que será operada pela concessionária RioBarra. A empresa investiu cerca de R$ 1,2 bilhão na compra de trens e outros investimentos.