22°
Máx
17°
Min

BNDES melhora condições para refinanciamento do PSI e outras linhas

(Foto: Divulgação) - BNDES melhora condições para refinanciamento do PSI e outras linhas
(Foto: Divulgação)

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) anunciou nesta terça-feira, 19, as novas condições para clientes que desejem refinanciar créditos de diferentes linhas de financiamento. O refinanciamento valerá para o Cartão BNDES, o Programa de Sustentação do Investimento (PSI) e BNDES Procaminhoneiro. Além disso, o banco de fomento reduziu os juros do BNDES Progeren, linha para financiamento de capital de giro.

Em fevereiro, o BNDES já havia anunciado redução nos juros para capital de giro, bens de capital e exportações, além do refinanciamento de operações do PSI, em meio a um estímulo à economia anunciado pelo governo federal em janeiro. À época, o banco de fomento calculava que as novas condições poderiam demandar até R$ 26 bilhões.

Agora, o BNDES melhorou as condições de refinanciamento do PSI e incluiu a possibilidade de refinanciar as dívidas no Cartão BNDES e no BNDES Procaminhoneiro, que não estavam no pacote de fevereiro.

"O principal objetivo das medidas é dar fôlego financeiro para que as empresas, especialmente as de menor porte, possam atravessar o período atual, de dificuldades no cenário econômico", diz a nota divulgada pelo BNDES.

Segundo a instituição de fomento, portadores do Cartão BNDES, que oferece crédito pré-aprovado para comprar insumos diversos, incluindo maquinários, poderão refinanciar, em até 48 meses e com 12 meses de carência, o saldo devedor de suas operações.

A taxa do refinanciamento será Taxa de Juros de Longo Prazo (TJLP), hoje em 7,5% ao ano, acrescida de spread de 3,5% do BNDES e de até 7% para o agente financeiro. O limite para refinanciamento é de R$ 1 milhão. No ano passado, houve 746 mil operações no Cartão BNDES, com desembolso de R$ 11,2 bilhões.

No BNDES PSI e no BNDES Procaminhoneiro, até seis prestações já vencidas de empréstimos vigentes poderão ser refinanciadas em até 18 parcelas. Antes, só era possível refinanciar compra de ônibus e caminhões (limitada a três parcelas atrasadas). Agora, também podem ser refinanciados máquinas e equipamentos.

O BNDES também melhorou as condições para as médias, pequenas e microempresas que desejem refinanciar empréstimos do BNDES PSI e que não possuam parcelas em atraso. O custo é de TJLP mais 1,6% de remuneração do BNDES e até 6% de remuneração do agente financeiro.

Segundo a nota da instituição de fomento, a instituição de fomento não mudou as condições de refinanciamento para as empresas de grande porte - Selic, a taxa básica de juros, hoje em 14,25% ao ano, mais 1,4% de remuneração do BNDES e spread do agente financeiro livremente negociado.

No capital de giro, as taxas do BNDES Progeren foram reduzidas para quase todos os portes de clientes. Para as micro e pequenas empresas, os juros foram reduzidos de 11,59% para 10,20% ao ano; para empresas de porte médio, de 14,63% para 12,59%; para companhias consideradas "médias-grandes", de 17,15% para 14,65%.

Para grandes empresas, a taxa foi mantida em 17,15%, segundo o BNDES. "Sobre esta taxa, incide ainda o spread do agente financeiro, livremente negociado com o tomador do crédito", informa a nota.