22°
Máx
16°
Min

BNDES tem papel destacado no movimento que será feito a favor do País, diz Jucá

Com a sucessão do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) em curso, o ministro do Planejamento, Romero Jucá, elogiou publicamente na manhã desta quarta-feira, 18, a gestão do economista Luciano Coutinho à frente da instituição de fomento.

"Quero registrar aqui que, para nós brasileiros, o trabalho do Coutinho e sua equipe é uma honra, um orgulho, que transformou o BNDES numa instituição modelar", afirmou Jucá, na abertura de um encontro de bancos de fomento da América Latina e do Caribe, no Rio.

Segundo Jucá, o BNDES será importante para "os passos que o governo Michel Temer quer dar". "O BNDES tem papel destacado no movimento que faremos a favor do País", disse o ministro.

Na segunda-feira, 16, o presidente em exercício Michel Temer anunciou o nome da economista Maria Silvia Bastos Marques, ex-presidente da Companhia Siderúrgica Nacional (CSN), para o comando do BNDES. Ela será a primeira mulher a presidir o banco e a receber um cargo de peso no governo Temer.

Na saída da reunião plenária do encontro no Rio, Coutinho elogiou sua sucessora. "É uma pessoa que tem todas as credenciais, perfil técnico e experiência", afirmou Coutinho. Segundo ele, ainda não foram marcadas reuniões de transição com a futura presidente, mas a gestão atual está preparada para passar informações da maneira "mais eficiente e breve o possível".

Coutinho destacou que, na sua gestão, o BNDES conseguiu contribuir para a elevação da taxa de investimento. "O banco foi importante nesse esforço de investir mais, em infraestrutura, em inovação", disse o executivo. "Tentamos com muito empenho trabalhar em conjunto com o mercado de capitais, o ciclo de juros não ajudou, mas tenho certeza de que, num futuro próximo, será uma agenda importante", completou Coutinho.

Para o economista, focar o BNDES na concessões de infraestrutura, como o governo Temer vem sinalizando, é o papel "natural" dos bancos de desenvolvimento. "São as entidades que têm funding de longo prazo e capacidade de oferecer crédito de longo prazo", disse Coutinho.

Desde terça-feira, Coutinho teve sucessivos encontros com o ministro do Planejamento, Romero Jucá, cuja pasta recebeu o BNDES com a reforma administrativa feita pelo governo Temer. Os dois se encontraram antes de participar do XXVIII Fórum Nacional, na sede do BNDES, e, à noite, participaram de jantar do encontro de bancos de fomento latino-americanos. Na manhã desta quarta, voltaram a se reunir antes da abertura do evento.