22°
Máx
17°
Min

Bolsas da Europa fecham em alta impulsionadas por retomada dos bancos

Os principais índices acionários da Europa fecharam em alta consistente na sessão desta sexta-feira, 8, impulsionados pela retomada do setor bancário, que vinha acumulando perdas de dois dígitos desde o plebiscito realizado no Reino Unido no dia 23 de junho, no qual a população britânica decidiu sair da União Europeia. Hoje, o presidente do Banco Central da Itália, Ignazio Visco, reconheceu que talvez seja necessária uma intervenção do Estado para que a crise nos bancos mais fracos do país se espalhem e isso fez as ações se recuperarem.

O relatório de emprego dos Estados Unidos (payroll) referente a junho, divulgado hoje, também ajudou os mercados, já que o dado veio surpreendentemente positivo e afastou a ideia de que o país poderia entrar em recessão.

O índice pan-europeu Stoxx 600 encerrou o dia em alta de 1,62%, aos 327,35 pontos. A alta, no entanto, não foi suficiente para que a semana se encerrasse no campo positivo, portanto, no acumulado de sete dias, o Stoxx 600 recuou 1,47%.

Milão registrou a maior alta porcentual do dia, com 4,08%, e encerrando o pregão aos 16.066,38 pontos. O destaque ficou com o Banco Popolare, que subiu 18,36%. O Intesa Sanpaolo avançou 10,00% e o Monte dei Paschi di Siena ganhou 5.47%. O índice FTSE Mib, no entanto, acumulou queda de 1,41% na semana.

Em Londres, o FTSE 100 subiu 0,87% e fechou aos 6.590,64 pontos, com construtoras e imobiliárias liderando os ganhos. A Taylor Wimpey, a Berkeley e a Barratt Developments subiram mais de 7%. Os bancos também tiveram avanço, com o Marks & Spencer ganhando 6,16% após ter sua nota de crédito elevada pelo Credit Suisse. No acumulado da semana, o FTSE 100 é o único que apresenta avanço, de 0,19%.

O DAX, de Frankfurt, subiu 2,24% e fechou aos 9.629,66 pontos. O Deutsche Bank e o Commerzbank foram as empresas que tiveram mais negócios na sessão de hoje e encerraram em alta de 2,80% e de 5,78%, respectivamente. No acumulado da semana, o índice de Frankfurt caiu 1,50%.

O índice CAC 40, de Paris, foi puxado pelas montadoras e pelos bancos, encerrando o dia em alta de 1,77%, aos 4.190,68 pontos. A Renault avançou 5,73%, seguida pela Peugeot, que subiu 5,15%. Já o Credit Agricole e o Société General ganharam 5,62% e 5,28%, respectivamente. Na semana, o índice teve queda de 1,95%.

Em Madri, o Ibex 35 subiu 2,22% e fechou aos 8.185,90 pontos, com os bancos tendo maior movimentação. O Santander subiu 5,16%, enquanto o Banco Popular Español avançou 4,08%. Na semana, o Ibex 35 teve queda de 1,00%.

O PSI 20, de Lisboa, fechou na máxima do dia, aos 4.455,87 pontos e em alta de 1,55%. Assim como nos outros índices, ele foi influenciado por ações bancárias, com o Banco Comercial Português subindo 10,67%. Na semana, o PSI 20 teve queda acumulada de 0,78%. (Com informações da Dow Jones Newswires)