22°
Máx
16°
Min

Bolsas da Europa fecham em alta, puxadas pela valorização do petróleo

Os principais índices acionários da Europa fecharam majoritariamente em alta nesta quinta-feira, 29, com exceção de Frankfurt. A forte valorização dos preços do petróleo na quarta-feira, 28, refletiu nas praças europeias apenas no dia seguinte, já que a aceleração da commodity aconteceu quando os índices do Velho Continente estavam fechados.

As ações ligadas ao setor de energia, como era de se esperar, puxaram os ganhos, seguidas por mineradoras e empresas de serviços públicos. Apesar da alta expressiva de quarta, o petróleo alternou altas e baixas na manhã de quinta, com os investidores levantando dúvidas sobre a validade do acordo firmado entre grandes produtores de petróleo na quarta para reduzir a oferta. Em meio a esse cenário, o índice pan-europeu Stoxx 600 ficou quase estável, em alta de 0,04%, aos 342,72 pontos.

Em Londres, o FTSE 100 avançou 1,02%, aos 6.919,42 pontos, com todo o setor de energia em alta. Entre as petroleiras, os destaques ficam com a BP, que avançou 4,34% e com a Tullow Oil, que disparou 9,84%. As mineradoras também se aproveitaram dos ganhos do petróleo e acompanharam o movimento de alta, com a Glencore subindo 3,10% e a Acacia Mining avançando 4,93%.

O CAC-40, de Paris, subiu 0,26%, aos 4.443,84 pontos, com a Technip e a Total avançando 7,57% e 4,15%, respectivamente, fortemente influenciadas pelos preços do petróleo. Na sexta-feira, o índice de preços ao consumidor (CPI, na sigla em inglês) de setembro e o índice preços ao produtor (PPI, na sigla em inglês) de agosto podem orientar os mercados.

Em Milão, o FTSE Mib fechou em alta de 0,72%, aos 16.338,78 pontos, acompanhando o movimento de seus pares europeus. A Saipem, subsidiária da Eni, liderou os ganhos, com alta de 5,41%. Já a Eni em si subiu 4,62%, ambas influenciadas pela alta do petróleo. Os bancos, por sua vez, não tiveram direção única, com o Intesa Sanpaolo subindo 0,15% e o Monte dei Paschi di Siena recuando 2,69%.

Frankfurt destoou dos outros índices europeus e fechou em queda de 0,31%, aos 10.405,54 pontos. Mais cedo, o DAX chegou a apresentar ganhos, seguindo a alta do petróleo, mas entrou em território negativo após o presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central dos Estados Unidos) de Atlanta, Dennis Lockhart, tomar uma postura hawkish (mais dura) em discurso, colocando a reunião de novembro como possibilidade para aumentar os juros.

Além disso, o comunicado de reestruturação do Commerzbank, que vai cortar 9,6 mil empregos, gerou mal-estar no mercado, com o banco fechando em queda de 3,09%.

Em Madri, o Ibex 35 subiu 0,64%, aos 8.796,30 pontos. Já em Lisboa, o PSI 20 avançou 0,94%, aos 4.605,42 pontos. (Com informações da Dow Jones Newswires)