28°
Máx
17°
Min

Bolsas da Europa fecham em baixa afetadas por dados fracos da economia chinesa

Os principais índices acionários da Europa fecharam majoritariamente em queda na sessão desta quinta-feira, 13, influenciados pela balança comercial fraca da China, que registrou recuo nas exportações em setembro, na comparação anual.

Os dados da China disseminaram preocupações sobre a saúde da economia global, uma vez que, além de queda de 10% nas exportações na comparação anual, o país reportou queda de 1,9% nas importações, sinalizando fraqueza na demanda mundial. Os dados derrubaram os preços do cobre e espalharam cautela entre os investidores, o que levou o índice pan-europeu Stoxx 600 a cair 0,87%, aos 335,62 pontos.

Em Londres, as mineradoras foram especialmente afetadas pelos dados chineses, com a Rio Rinto caindo 4,86%, e a Glencore perdendo 2,27%. O índice FTSE 100 fechou em queda de 0,66%, aos 6.977,74 pontos. Outro setor afetado foi o das varejistas, a com a Tesco perdendo 3,03% e a Unilever caindo 3,41%.

O DAX, de Frankfurt, caiu 1,04%, aos 10.414,07 pontos, com os bancos e as ações cíclicas sendo particularmente afetadas pela China. O Commerzbank caiu 4,08% e o Deutsche Bank perdeu 2,91%. A Thyssenkrupp também teve baixa com os dados que mostram menor demanda chinesa e caiu 3,40%.

Em Milão, o FTSE Mib perdeu 1,22%, aos 16.269,26 pontos, com o setor bancário sendo o mais afetado pelo recuo da demanda chinesa. O Intesa Sanpaolo recuou 2,33%, enquanto o UniCredit perdeu 3,64%. O Popolare di Milano, por sua vez, caiu 4,61%.

O CAC-40, de Paris, recuou 1,06% e fechou aos 4.405,17 pontos, com a Nokia liderando as perdas ao recuar 4,39%. Para a sexta-feira, não está previsto nenhum dado econômico francês, mas os investidores devem ficar de olho nos números de vendas no varejo dos EUA e na confiança do consumidor.

Em Madri, o Ibex 35 caiu 0,90%, aos 8.608,70 pontos. Já o PSI 20, de Lisboa, destoou de seus pares e subiu 0,08%, fechando aos 4.559,01 pontos. Com informações da Dow Jones Newswires