22°
Máx
16°
Min

Bolsas da Europa fecham em queda com discursos de dirigentes do Fed

As principais bolsas da Europa fecharam em queda nesta segunda-feira, 12, com o mercado reagindo ao discurso "hawkish" do presidente da unidade de Boston do Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA), Eric Rosengren, na sexta-feira (9), uma vez que os índices já estavam fechados quando o movimento vendedor se intensificou na sessão anterior. Além disso, a espera pela fala da diretora do Fed Lael Brainard no início da tarde desta segunda também influenciou as praças europeias.

Na sexta-feira, Rosengren sinalizou que uma alta gradual nos juros dos EUA seria apropriada, fala corroborada pelo presidente do Fed de Atlanta, Dennis Lockhart, nesta segunda-feira. A expectativa com relação ao discurso de Brainard se deve, principalmente, pelo fato da diretora costumeiramente adotar uma postura mais "dovish", ou seja, favorável à manutenção de juros em patamar baixo. Uma mudança de tom pode indicar que uma alta de juros está próxima. Com esse cenário incerto, o índice pan-europeu Stoxx 600 recuou 0,95%, aos 342,23 pontos.

Em Londres, o FTSE 100 caiu 1,12% e fechou o pregão aos 6.700,90 pontos. Os discursos dos dirigentes do Fed afetaram, principalmente, os bancos britânicos, com o Barclays recuando 2,69% e o Royal Bank of Scotland perdendo 3,43%. A queda das commodities também pesou sobre as ações de mineradoras, como a Rio Tinto, que caiu 2,36%.

O DAX, de Frankfurt, recuou 1,34% e foi aos 10.431,77 pontos, alinhado com os outros índices europeus. A Linde liderou as perdas, com queda de 6,99%, após descartar uma fusão com a Praxair. Nesta terça-feira, 13, os investidores ficam atentos ao índice de expectativas econômicas da Alemanha, calculado pelo instituto ZEW, e ao índice de preços ao consumidor (CPI, na sigla em inglês) da região.

Em Paris, o CAC-40 fechou na mínima do dia, aos 4.439,80 pontos, queda de 1,15%. As ações do setor financeiro lideraram as perdas, com o BNP Paribas recuando 2,20% e o Credit Agricole perdendo 1,58%.

Em Milão, o FTSE Mib também viu o setor bancário ser o mais afetado pelas expectativas de alta de juros nos Estados Unidos. O índice recuou 1,84%, aos 16.840,28 pontos, com o FinecoBank perdendo 2,98%, o Intesa Sanpaolo recuando 2,03% e o Monte dei Paschi di Siena caindo 3,43%.

Em Madri, o Ibex 35 fechou em queda de 1,76%, aos 8.866,60 pontos, enquanto o PSI 20, de Lisboa, recuou 1,39%, aos 4.632,44 pontos. (Com informações da Dow Jones Newswires)