28°
Máx
17°
Min

Bolsas da Europa fecham em queda, com preocupação com China e crescimento global

Indicadores da China e a revisão, para baixo, da expectativa de crescimento global em 2016 pelo Banco Mundial, levaram cautela aos investidores e fizeram os principais índices acionários europeus fecharem em queda nesta quarta-feira, 8, pela primeira vez em três pregões. A exceção ficou com Londres, beneficiada pela alta do petróleo e também um indicador econômico local. O índice pan-europeu Stoxx 600 fechou recuou 0,49%, aos 344.56 pontos.

Investidores reagiram desde cedo a dados da balança comercial da China, que apontou para um recuo de 4,1% em doze meses nas exportações chinesas em dólares em maio, ao passo que as importações caíram 0,4% na mesma comparação. Apesar de virem melhores do que a expectativas, os números não animaram investidores. O índice Xangai Composto e o Shenzhen Composto caíram ambos 0,3%.

Outro fator de aversão ao risco foi a divulgação de um relatório "Perspectivas Econômicas Globais" do Banco Mundial, que rebaixou a previsão para o crescimento da economia mundial de 2,9% para 2,4% este ano. O documento foi divulgado na terça após o fechamento das bolsas europeias, mas continuou gerando cautela na região. Como resultado, os rendimentos dos títulos do governo da Alemanha tocaram a mínima histórica de 0,033% durante a sessão.

"O corte da perspectiva pelo Banco Mundial e outro recuo mensal das exportações chinesas colocaram os mercados na defensiva", afirmou Jasper Lawler, analista da CMC Markets.

Em Frankfurt, o índice DAX fechou em queda de 0,67%, aos 10.217,03 pontos, pressionado pela valorização do euro em relação ao dólar. As ações de concessionárias de serviços públicos como E.ON (+3,53%), tiveram desempenho positivo. Em Paris, o CAC-40 caiu 0,61%, aos 4.448,73 pontos, pressionado pelo desempenho de papéis como o do Société Générale, que caiu 2,18%.

Em Milão, o FTSE-Mib recuou 0,37%, aos 17.909,70 pontos. Os bancos lideraram as perdas, com destaque para UniCredit (-4,57%) e Mediobanca (-1,27%). Em Madri, o índice Ibex-35 recuou 0,71%, aos 87.831,40 pontos. Em Lisboa, o PSI-20 cedeu 0,65%, aos 4.825,88 pontos.

Em Londres, o FTSE-100 foi beneficiado por um dado positivo da produção industrial no país e por dados de importação da China, que ajudaram o petróleo. Os papéis da Acacia Mining subiram 4,09%, enquanto os da BP avançaram 0,88%. Com informações da Dow Jones Newswires