27°
Máx
13°
Min

Bolsas da Europa fecham em queda, em sessão negativa para o setor financeiro

As bolsas europeias fecharam em queda nesta sexta-feira, 29, em um dia de menor apetite pelas ações entre os investidores, que monitoraram a divulgação de balanços. O setor financeiro esteve pressionado e foi em parte responsável pelo pregão negativo. O índice pan-europeu Stoxx 600 caiu hoje 2,02% (7,05 pontos), para 341,85 pontos, no último dia de negociações do mês. Na semana, o Stoxx 600 recuou 1,90%.

Vários indicadores foram divulgados no continente. Por um lado, o Produto Interno Bruto (PIB) da zona do euro subiu 0,6% no primeiro trimestre de 2016 ante o anterior, acima da expectativa de alta de 0,4% dos economistas. A taxa de desemprego também mostrou melhora, ao recuar a 10,2% em março na zona do euro, no menor patamar desde agosto de 2011. Já o índice de preços ao consumidor (CPI, na sigla em inglês) caiu 0,2% no mês em abril, ante previsão de estabilidade. A persistência do problema com os preços fracos no continente contribuiu para a cautela no mercado acionário.

Na bolsa de Londres, o índice FTSE-100 fechou em queda de 1,27%, em 6.241,89 pontos. Na semana, o FTSE-100 caiu 1,09%, mas no mês de abril teve alta de 1,08%. Entre os bancos, Royal Bank of Scotland recuou 6,05%, após divulgar que teve prejuízo no primeiro trimestre, Standard Chartered perdeu 3,24% e Barclays teve baixa de 1,66%. Já o avanço do cobre por causa do dólar mais fraco impulsionou as mineradoras: Antofagasta subiu 1,51% e Anglo American avançou 1,35%.

O índice DAX, da Bolsa de Frankfurt, caiu 2,73%, para 10.038,97 pontos. Na semana, o DAX recuou 3,22%, embora no mês ainda tenha subido 0,74%. A força do euro durante a sessão prejudicou as ações de companhias exportadoras da Alemanha. Entre os papéis em foco, E.ON caiu 2,03%, Commerzbank recuou 2,91% e Deutsche Bank teve baixa de 5,13%. Deutsche Lufthansa caiu 5,60%, por causa de preocupações com o preço mais caro do combustível, e Basf recuou 0,81% após divulgar balanço.

Na França, o índice CAC-40 fechou em baixa de 2,82%, a 4.428,96 pontos na bolsa de Paris. Na semana, o CAC-40 caiu 3,08%, mas subiu 1,00% em abril. Mesmo um resultado de crescimento econômico do país um pouco acima do esperado - o PIB francês avançou 0,5% no primeiro trimestre de 2016 ante o anterior, ante previsão de +0,4% dos analistas - não foi suficiente para animar os investidores. No setor financeiro, Crédit Agricole recuou 3,41%, Société Générale perdeu 3,97% e BNP Paribas teve baixa de 4,16%. A petroleira Total também teve dia negativo, em baixa de 2,64%, e a varejista Carrefour recuou 3,98%.

Em Milão, o índice FTSE-MIB recuou 1,98%, para 18.600,56 pontos. O índice caiu 0,46% na semana, porém teve alta de 2,67% em abril. Os bancos italianos também foram penalizados hoje: UniCredit recuou 5,3% e UBI e Banco Popolare perderam ambos 3,8%. A montadora Fiat Chrysler recuou 4,3%, após o Banco of America Merrill Lynch rebaixar a ação, enquanto a petroleira Eni teve queda de 1,4% após divulgar balanço com prejuízo no primeiro trimestre do ano.

Na bolsa de Madri, o índice Ibex-35 caiu 2,62%, para 9.025,70 pontos. O Ibex-35 caiu 2,24% na semana e teve alta de 3,47% no mês de abril. Banco Santander recuou 4,45% nesta sexta-feira, BBVA caiu 4,77% e Bankia teve baixa de 3,56%. Telefónica teve baixa de 4,25%, após divulgar balanço.

Em Portugal, o índice PSI-20 fechou em queda de 0,99%, para 5.052,52 pontos na bolsa de Lisboa. O PSI-20 caiu 0,88% na semana e subiu 0,64% em abril. Nesta sexta-feira, Banco BPI recuou 1,26%, Banco Comercial Português teve baixa de 3,01% e Galp Energia caiu 1,72%. (Com informações da Dow Jones Newswires