20°
Máx
14°
Min

Bolsas da Europa fecham majoritariamente em queda, por temor com pós-Brexit

As principais bolsas da Europa fecharam majoritariamente em queda na sessão desta terça-feira, 5, exceto o índice FTSE 100, de Londres, que foi influenciado por medidas de estímulo anunciadas pelo Banco da Inglaterra (BoE, na sigla em inglês) e encerrou o pregão no campo positivo. Já o índice pan-europeu Stoxx 600 registrou baixa de 1,70% e fechou aos 324,17 pontos.

Os negócios na Europa começaram tensos devido à decisão do fundo imobiliário Standard Life Investments de suspender as operações no Reino Unido devido ao aumento de resgates motivados por incerteza em relação ao Brexit, com os setores imobiliário e de construção sofrendo tombos. No entanto, após o BoE anunciar as primeiras medidas de estímulo pós-Brexit, o ânimo dos investidores mudou.

Em Londres, o FTSE 100 teve alta de 0,35% e fechou aos 6.545,37 pontos, liderado por ganhos no setor de energia e farmacêutico, com os investidores procurando ações mais seguras. No entanto, construtoras e imobiliárias tiveram fortes quedas, com a Barrat Developments caindo 9,79% e a Persimmon recuando 7,18%.

Milão teve recuo de 1,45% e encerrou o pregão aos 15.780,16 pontos, pressionado fortemente pelas ações do bancos italianos. A imprensa local especula que o governo anunciará suporte para o Banca Monte dei Paschi di Siena, que teve mais um dia de forte queda, registrando perdas de 19,39%.

O índice Ibex 35, de Madri, teve a maior queda do dia, fechando em -2,28%, aos 8.067,60 pontos. Os bancos tiveram maior volume de negociações dentro do índice e lideraram as perdas, possivelmente contaminados pelos bancos italianos. O Santander caiu 2,98%, enquanto o Banco de Sabadell recuou 4,21%.

Em Frankfurt, o índice DAX caiu 1,82%, aos 9.532,61 pontos, alinhado com a maioria das bolsas europeias. A ThyssenKrupp fechou em queda de 6,61%, com analistas dizendo que o Brexit poderia adias a negociação com a Tata Steel Europe. A Daimler, a Volkswagen e a BMW também tiveram perdas, de 3,63%, 2,87% e 2,37%, respectivamente.

O índice CAC 40, de Paris, foi pressionado pelas ações de montadoras e fechou em queda de 1,69%, aos 4.163,42 pontos. A Peugeot e Renault recuaram 5,43% e 3,73%, respectivamente.

Em Lisboa, o PSI 20 fechou aos 4.392,24 pontos, em queda de 2,24% e alinhado com o resto da Europa. Portugal também aguarda a decisão da Comissão Europeia a respeito de uma sanção que o país pode receber por não ter cumprido a meta do orçamento de 2015. As multas devem ter um valor baixo, mas as autoridades portuguesas temem o impacto negativo que a decisão possa ter no sentimento do investidor. Entre as quedas de hoje, o Banco Comercial Português registrou baixa de 3,78%. (Com informações da Dow Jones Newswires)