27°
Máx
13°
Min

Bolsas da Europa fecham primeiro pregão de maio sem direção única

As principais praças europeias encerraram o primeiro pregão de maio sem direção única, em dia de volume reduzido de negócios por causa do feriado no Reino Unido. Ganhos conquistados após a divulgação de dados positivos na região, como o índice de gerentes de compras (PMI, na sigla em inglês), foram relativizados, ao longo da sessão, pelo desempenho negativo do setor financeiro, afetado por notícias ruins dos bancos, principalmente os italianos. O índice pan-europeu Stoxx 600 fechou em leve queda de 0,07%, aos 341,24 pontos.

Os índices europeus ignoraram o péssimo impulso vindo dos mercados asiáticos, onde a bolsa de Tóquio fechou em queda de 3,11%, afetada pela forte valorização do iene ante o dólar, arrastando junto as demais praças na região. O otimismo foi causa pela publicação dos PMIs do setor industrial do bloco. Na zona do euro, o indicador subiu levemente, de 51,6 em março para 51,7 em abril. Já na Alemanha, a maior economia da região, o PMI foi de 50,7 para 51,8.

O bom momento, no entanto, cedeu à notícias vindas da Itália, onde o clima azedou após a Banca Popolare di Vincenza anunciar que sua emissão de ações atraiu uma procura equivalente a 7,7% do ofertado. Já os papéis da Intesa Sanpaolo tiveram queda de 1,98% após a instituição confirmar que vai vender suas unidades de cartão de crédito para um consórcio de compradores pelo equivalente a US$ 1,02 bilhão.

As ações do segmento também foram pressionadas pelo Deutsche Bank (-2,67%), que, segundo matéria do Financial Times, confirmou à autoridades britânicas ter encontrado falhas "sérias" e "sistêmicas" em seus controles contra a lavagem de dinheiro e financiamento ao terrorismo.

Em Frankfurt, o índice DAX fechou em alta de 0,84%, aos 10.123,27 pontos. Os ganhos foram liderados pelas ações da Allianz, que subiram 2,93% após um resultado trimestral melhor do que o esperado. Já em Paris, o índice CAC-40 subiu 0,31%, aos 4.442,75 pontos, beneficiado por um bom desempenho de papéis como Valeo (+1,44%) e Orange (+2,18%).

Em Milão, o setor bancário foi o maior responsável pelo recuo de 0,97% do índice FTSE-Mib. Já em Madri, o Ibex-35 fechou em leve queda de 0,04%, aos 9.022,10 pontos. Em Lisboa, o PSI-20 subiu 0,67%, aos 5.086,31 pontos. Com informações da Dow Jones Newswires