21°
Máx
17°
Min

Bolsas da Europa fecham sem direção única, com balanços e à espera de Fed e BoJ

As bolsas da Europa encerraram a sessão desta terça-feira, 26, sem direção comum, com os investidores digerindo os resultados trimestrais de grandes empresas da região enquanto aguardam pelas reuniões de política monetária dos bancos centrais dos EUA e do Japão, que acontecem nesta semana. O índice pan-europeu Stoxx 600 fechou em leve alta, de 0,18%, aos 347,31 pontos.

Registraram ganhos neste pregão as bolsas de Londres (+0,38%, aos 6.284,52 pontos), Madri (+1,56%, aos 9.283,00 pontos) e Milão (+1,45%, aos 18.670,41 pontos). Já na mão contrária, ficaram no negativo as bolsas de Paris (-0,28%, aos 4.533,18 pontos), Frankfurt (-0,34%, aos 10.259,59 pontos) e Lisboa (-0,75%, aos 5.029,58 pontos).

Os investidores seguem na expectativa de que o Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA) sinalize amanhã, ao término de sua reunião de política monetária, qual será o ritmo de normalização dos juros no país. Há também alguma ansiedade em torno da possibilidade de o Banco do Japão (BoJ, o BC japonês) anunciar, na quinta-feira, um reforço às medidas de estímulo econômico.

Por enquanto, o mercado opera de olho nos balanços trimestrais. As ações da Orange se destacaram em Paris, ao subirem 1,3% depois que a companhia anunciou aumento nas receitas em decorrência dos negócios na Espanha e de vendas maiores a empresas.

Em Londres, os papéis da Standard Chartered saltaram quase 10% com a notícia de desaceleração na inadimplência e de lucro acima do esperado. As ações da petroleira BP, por sua vez, subiram 4,32%, diante do inesperado lucro recorrente de US$ 532 milhões no primeiro trimestre, quando a previsão era de prejuízo.

Na bolsa de Frankfurt, as ações do Thyssenkrupp baixaram 2,45%, depois que uma rival ganhou a disputa por uma encomenda de cerca de 34 bilhões de euros. Por outro lado, a expectativa com os resultados do Deutsche Bank, a serem anunciados na quinta-feira, garantiram alta de 2,27% aos papéis.

Em Milão, as ações da Fiat Chrysler baixaram 2,63% depois que a montadora informou ter registrado no trimestre dívida acima do esperado. (Com informações da Dow Jones Newswires)