22°
Máx
14°
Min

Bolsas da Europa fecham sem direção única com queda do petróleo e bancos

Os principais índices acionários da Europa fecharam sem direção única na sessão desta quarta-feira, 31, com as praças reagindo a diferentes movimentos do mercado. Com a queda do petróleo, as bolsas mais sensíveis a commodities, como a de Londres, acumularam perdas. Já no caso de Milão, por exemplo, que responde mais a informações de bancos, a bolsa ficou no campo positivo, impulsionada pela notícia de que pode haver consolidações no setor.

O petróleo, que já havia começado o dia em queda, ficou ainda mais pressionado após o dado semanal sobre estoques da commodity do Departamento de Energia (DoE) dos EUA mostrar aumento de 2,276 milhões de barris e acabou afetando as ações de empresas ligadas a energia.

Enquanto isso, nos bancos, a fala do executivo-chefe do Deutsche Bank, John Cryan, defendendo mais consolidação entre os bancos europeus impulsionou os papéis bancários. Em meio a esse cenário, o índice pan-europeu Stoxx 600 recuou 0,35%, aos 343,53 pontos.

Em Londres, o FTSE 100 recuou 0,58%, aos 6.781,51 pontos, com as mineradoras e as petroleiras liderando as perdas. A Anglo American teve uma das quedas mais expressivas, de 4,61%, enquanto a BHP Billiton perdeu 4,86%. Nesta quinta-feira, dia 1º, os investidores britânicos ficam de olho no índice de gerentes de compras (PMI) da indústria.

O DAX, em Frankfurt, caiu 0,61% e foi aos 10.592,69 pontos, com as ações mudando de direção mais próximo do fim dos negócios. Os papéis dos bancos subiram após a circulação de conversas sobre uma possível fusão entre o Commerzbank e o Deutsche Bank e ambos fecharam em alta de 3,38% e 2,52%. Já a Siemens e a Thyssenkrupp recuaram 1,34% e 0,74%, respectivamente.

Outro índice que fechou em queda foi o CAC-40, de Paris, que recuou 0,43% e encerrou o dia na mínima, aos 4.438,22 pontos. No campo negativo, destaque para a Total, que recuou 1,71%, e para a Vallourec, que perdeu 3,59%.

No movimento de alta, o FTSE Mib, de Milão, teve alta de 0,31% e foi aos 16.943,38 pontos, com todo o setor bancário otimista. O Intesa Sanpaolo subiu 4,21%, o Unicredit 3,50% e o Popolare di Milano 2,10%.

Em Madri, o Ibex 35 avançou 0,36% e fechou aos 8.716,80 pontos. Já o PSI 20, de Lisboa, ficou próximo da estabilidade, mas ainda no campo positivo, com alta de 0,03%, aos 4.711,91 pontos. (Com informações da Dow Jones Newswires)