26°
Máx
19°
Min

Bolsas da Europa se recuperam na hora final da sessão e terminam em alta

As bolsas da Europa terminaram a sessão desta quarta-feira, 6, em alta, impulsionadas pelo avanço dos contratos de petróleo. O índice pan-europeu Stoxx 600 fechou com ganho de 0,76%, aos 330,65 pontos.

A sessão europeia foi volátil, com a atenção dos investidores concentrada em eventos externos ao continente, já que a agenda econômica local foi fraca. Desta forma, o sinal negativo vinha da expectativa com a divulgação da ata da reunião de março do Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA), que ocorre às 15 horas (de Brasília).

Mas os contratos futuros de petróleo dispararam no meio da manhã, depois de o Departamento de Energia (DoE, na sigla em inglês) informar que os estoques da commodity bruta no país cederam quase 5 milhões de barris na semana passada, ante uma previsão de avanço de 3,3 milhões de barris. O dado alimentou as apostas de que a demanda norte-americana por energia está se recuperando.

O forte avanço do petróleo deu suporte também aos ganhos das commodities metálicas, impulsionando o desempenho das ações das companhias destes setores.

"Os investidores de ações ainda estão bastante obcecados com os preços do petróleo e das commodities em geral", disse Omar Aguilar, diretor de investimentos da corretora Schwab Charles.

Em Londres, os papéis da petroleira Royal Dutch Shell (tipo A) saltaram 1,16% e da mineradora Antofagasta ganharam 1,34%. O índice FTSE-100 terminou na máxima, aos 6.161,63 pontos (+1,16%).

Em Paris, as ações da petroleira Total avançaram 1,40% e da siderúrgica ArcelorMittal subiram 0,78%. O índice CAC-40 fechou na máxima, com alta de 0,81%, aos 4.284,64 pontos.

As ações de energia também saltaram em Madri. Os papéis da Enagas subiram 1,22% e da Iberdrola ganharam 0,24%. O índice IBEX-35 avançou 0,13%, para 8.398,60 pontos.

Um dos destaques de alta da Bolsa de Frankfurt foi a recuperação das ações da ThyssenKrupp (+1,93%), que haviam caído bastante nos últimos dias diante da notícia de que o grupo vai assumir o controle pleno da Companhia Siderúrgica do Atlântico (CSA), antes dividido com a brasileira Vale. O índice de referência DAX subiu 0,64%, encerrando em 9.624,51 pontos.

Em Milão, as dúvidas sobre a ação do governo diante do aumento de empréstimos inadimplentes fez com que as ações de bancos terminassem mistas. Enquanto o Intesa Sanpaolo subiu 1,18%, o Popolare di Milano cedeu 1,39%. O índice FTSE-MIB avançou 0,77%, para 17.240,91 pontos.

As incertezas sobre o desempenho dos bancos também pesou no desempenho do setor em Lisboa, única das principais bolsas europeias a terminar em queda. O índice PSI-20 fechou em baixa de 0,53%, aos 4.848,41 pontos. O Banco BPI caiu 5,83%. Com informações da Dow Jones