28°
Máx
17°
Min

Bolsas de NY fecham em alta após dados positivos de emprego nos EUA

Os mercados acionários dos Estados Unidos fecharam em alta consistente, nesta sexta-feira, 8, após a divulgação de dados surpreendentemente positivos sobre o mercado de trabalho daquele país, levando as bolsas de Nova York a patamares pré-Brexit (separação do Reino Unido da União Europeia).

No fim da tarde, o índice Dow Jones fechou em alta de 1,40% (250,86 pontos), aos 18.746,74 pontos, e o Nasdaq ganhou 1,64% (79,95 pontos), encerrando aos 4.956,76 pontos. O S&P chegou a superar o recorde de fechamento de 2.130,82 pontos - registrado em maio de 2015 -, atingindo 2.131,71 pontos durante a sessão, mas avançou apenas 1,53% (32,00 pontos) e fechou aos 2.129,90 pontos.

Entre as companhias que observaram os melhores desempenhos estão a Caterpillar, que subiu 3,09%, a American Express, que ganhou 2,81%, e a Visa, cujos papéis avançaram 2,56%.

Na semana, o índice Dow Jones avançou 1,10%, o Nasdaq subiu 1,94%, e o S&P 500 ganhou 1,28%.

Os empregadores norte-americanos contrataram muito mais que o esperado em junho, oferecendo a garantia de que a economia dos EUA está crescendo de forma sólida após um payroll fraco em maio. Os EUA criaram 287 mil empregos no mês passado, considerando-se ajustes sazonais, superando de longe a previsão de analistas consultados pela Dow Jones Newswires, de geração de 165 mil postos de trabalho, segundo dados publicados hoje pelo Departamento de Trabalho norte-americano.

Os fortes ganhos podem aumentar as chances de o Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA) aumentar as taxas de juros ainda neste ano, mas muitos investidores descartaram essa possibilidade e, em vez disso, focaram as implicações econômicas.

As companhias de tecnologia e de consumo de bens não-duráveis, que tipicamente se saem bem quando os investidores esperam expansão econômica, ajudaram a puxar as ações nesta sessão. Do Brexit até ontem, o setor que havia apresentado a melhor performance era o de serviços básicos, que são vistos como ativos relativamente seguros por participantes do mercado. A mudança de peso entre os setores pode ser boa para os índices acionários, de acordo com analistas.

O que os mercados acionários precisam agora é um sinal que os ganhos corporativos dos EUA estejam aumentando, dizem especialistas. Na próxima semana, começa a temporada de balanços do segundo trimestre, com números de companhias como a Alcoa e J. P. Morgan Chase. Espera-se que os ganhos das companhias recuem pelo quinto trimestre consecutivo, de acordo com a Factset. (Com informações da Dow Jones Newswires)