22°
Máx
16°
Min

Bolsas de NY fecham em alta em dia de dados positivos

O mercado acionário dos Estados Unidos fechou em alta nesta sexta-feira, 22, após uma sessão volátil, impulsionado por dados animadores sobre a economia norte-americana e balanços corporativos positivos. Como resultado, o S&P 500, registrou um fechamento recorde.

No fim da tarde em Nova York, o índice Dow Jones fechou em alta de 53,62 pontos (0,29%), aos 18.570,85 pontos, um dia após quebrar uma sequência de nove altas, na quinta-feira. O S&P 500 ganhou 9,86 pontos (0,46%), para 2.175,03 pontos, superando o recorde de fechamento registrado na quarta-feira. O Nasdaq, por sua vez, subiu 26,26 pontos (+0,52%) para 5.100,16 pontos.

Nos últimos cinco dias, o Dow Jones ganhou 0,29%; o S&P 500 avançou 0,61%; e o Nasdaq subiu 1,40%. Nesta semana, cerca de 5,9 bilhões de títulos mudaram de mãos por dia, cerca de 1,7 bilhão de papéis a menos que o habitual para esta época do ano, e a semana mais lenta desde o fim de dezembro.

Traders atribuem o baixo volume de negócios ao mal-estar no verão do Hemisfério Norte após algumas semanas agitadas, quando as ações despencaram na sequência do plebiscito que decidiu pela separação do Reino Unido da União Europeia (UE), em um movimento conhecido como Brexit. Desde então, as ações se recuperaram para novos recordes.

As bolsas foram impulsionadas tanto por dados econômicos encorajadores quanto por resultados trimestrais que superaram as expectativas.

Com a divulgação de balanços de 123 companhias no S&P 500, os ganhos no índice estão prestes a contrair 4,2% no segundo trimestre na comparação com o mesmo período do ano passado, de acordo com a FactSet.

Entre os balanços mais importantes divulgados hoje, o lucro líquido da American Airlines caiu 44% no segundo trimestre, para US$ 950 milhões, mas o resultado veio melhor do que o esperado. Já a Whirlpool anunciou ganho de US$ 320 milhões, acima do esperado, e ainda elevou a previsão do resultado para o ano. O papel da American Airlines avançou 4,00% e o da Whirlpool, +2,68%.

Por outro lado, apresar de a General Electric ter revertido prejuízo e lucrado US$ 2,74 bilhões no segundo trimestre, o lucro industrial teve queda anual de 5,4% e as encomendas reduziram 2%. A companhia viu seus papéis recuarem 1,63%.

Hoje, a notícia de que o índice de gerentes de compras (PMI, na sigla em inglês) do setor industrial dos EUA subiu a 52,9 em julho, de 51,3 em junho também deu apoio ao mercado. O dado atingiu o maior nível desde outubro de 2015, segundo dados preliminares divulgados pela Markit Economics. O avanço acima da marca de 50,0 indica expansão mais forte da atividade industrial nos EUA.

A prévia de julho superou a expectativa de analistas consultados pela Dow Jones Newswires, que previam avanço menor do indicador, a 51,9.

Os ganhos das bolsas só não foram maiores porque elas foram pressionadas pela queda do petróleo. Os investidores seguem preocupados com o excesso de oferta de produtos refinados e de olho nos dados da Baker Hughes sobre o número de poços e plataformas em atividade nos EUA, que nas últimas duas semanas aumentou. (Com informações da Dow Jones Newswires)