22°
Máx
16°
Min

Bolsas de NY fecham em alta, impulsionadas por rali dos preços de petróleo

As bolsas de valores dos Estados Unidos fecharam em alta nesta sexta-feira, 8, impulsionadas pelo rali dos preços do petróleo, que deu apoio às ações de companhias de energia. Os índices norte-americanos encerraram a semana com perdas, no entanto.

O Dow Jones fechou em alta de 0,20%, aos 17.576,96 pontos, e perdas de 1,21% na semana; o S&P 500 ganhou 0,28% e fechou aos 2.047,60 pontos e recuo de 1,21% na semana; já o índice Nasdaq ganhou 2,32 pontos (0,05%) e fechou aos 4.850,69 pontos e queda de 1,30% na semana.

Os ganhos robustos dos preços de petróleo fizeram com que o setor de empresas de energia do S&P 500 apresentasse o melhor desempenho da sessão.

Na IntercontinentalExchange (ICE), o petróleo Brent para junho fechou alta de 6,37% (US$ 2,51), a US$ 41,94 por barril. Na New York Mercantile Exchange (Nymex), o WTI para maio avançou 6,60% (US$ 6,60%), a US$ 39,72 por barril. Na semana, ambos os contratos acumularam ganhos de 8,45% e 7,96%, respectivamente.

Como resultado, a Chevron ganhou 1,62% e a Exxon Mobil subiu 1,02%.

Os contratos de petróleo foram influenciados por um movimento generalizado de apetite por risco após comentários da presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano), Janet Yellen, e também por declarações do ministro de energia da Rússia, afirmando que o país não descarta propor outras medidas além do congelamento da produção aos níveis de janeiro na reunião do dia 17, em Doha.

"Como os preços do petróleo saíram das mínimas, o mercado tem negociado em cima isso", disse Stephen Carl, trader do Williams Capital Group.

O setor de consumo discricionário foi um dos que apresentaram os piores desempenhos na sessão, com a queda das ações de varejistas. A Gap, por exemplo, viu seus papéis recuarem 13,84%.

A alta do dia encerra uma semana de declínios das ações, à medida que várias grandes companhias, incluindo as principais instituições financeiras, se preparam para divulgar os balanços do primeiro trimestre. (Com informações da Dow Jones Newswires)