27°
Máx
13°
Min

Bolsas de NY fecham em leve alta após oscilarem com queda do petróleo

O mercado acionário dos Estados Unidos fechou em leve alta nesta terça-feira, 9, após ter oscilado ao longo do dia, com a pressão da queda dos preços de petróleo. O volume de negócios tem estado relativamente baixo nas últimas semanas, mesmo após a divulgação de indicadores recordes nos EUA, como mostrou o relatório de emprego (payroll), divulgado na sexta-feira (5). O S&P 500 não tem movimento diário de 1% ou mais em nenhuma direção desde 8 de julho.

O índice Dow Jones fechou em alta de 3,76 pontos (0,02%) para 18.533,05 pontos; S&P 500 ganhou 0,85 ponto (0,04%) e fechou aos 2.181,74 pontos; e Nasdaq avançou 12,34 pontos (0,24%) para 5.225,48 pontos.

Apesar do payroll forte, os dados divulgados nas últimas semanas indicaram que a economia americana está crescendo em um ritmo moderado, mesmo que com alguns tropeços. A produtividade recuou para uma taxa anual sazonalmente ajustada de 0,5%, de acordo com informações do Departamento de Trabalho divulgadas hoje. Foi o terceiro mês consecutivo de queda para o indicador.

Planos de negociações informais entre os membros da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) reavivaram as esperanças de alguns investidores por um congelamento da produção. Mas alguns participantes do mercado permanecem céticos em relação a disposição dos membros do grupo em entrar em um acordo, e alertam que os preços podem cair.

Nesta terça, o WTI para setembro, negociado na New York Mercantile Exchange (Nymex) fechou em queda de 0,58%, aos US$ 42,77 por barril. Já o Brent para outubro, negociado na ICE, em Londres, recuou 0,90% e encerrou o pregão a US$ 44,98 o barril.

O declínio do petróleo pesou sobre as ações do setor de energia no S&P 500, que foi o que mais perdeu na sessão. Companhias como a Chesapeake Energy Corporation, a Range Resources Corporation e a Southwestern Energy Company viram seus papéis caíram mais de 3%.

No terreno positivo, a Valeant Pharmaceuticals disparou 24% após reportar uma perda maior do que a esperada no último trimestre, mas afirmar sua orientação para o ano. (Com informações da Dow Jones Newswires)