20°
Máx
14°
Min

Bolsas de NY fecham em queda com retorno dos temores sobre efeitos do Brexit

As bolsas de Nova York encerraram seu maior rali semanal de 2016 nesta terça-feira, 5, influenciadas pelo retorno dos temores sobre os efeitos da saída do Reino Unido da União Europeia e por um recuo mais acentuado do petróleo.

No fim, o índice Dow Jones fechou em queda de 0,61%, aos 17.840,62 pontos, o S&P 500 recuou 0,68%, aos 2.088,55 pontos, e o Nasdaq cedeu 0,82%, aos 4.822,90 pontos.

As preocupações foram suscitadas por especulações de que o governo italiano estaria prestes a socorrer uma grande instituição financeira do país, o que suscitou a possibilidade de uma crise sistêmica no setor na Europa. Além disso, a notícia de que três fundos imobiliários britânicos suspenderam negociações em meio a uma corrida de investidores para resgatar suas cotas levou analistas a alertarem para a possibilidade de efeito dominó no segmento. Ambos os casos estão relacionados a efeitos secundários do Brexit.

Paralelamente, o petróleo registrou forte queda em meio a uma realização de lucros disparada pela notícia de que os estoques do centro de distribuição de Cushing avançaram nos Estados Unidos, como reportado pela consultoria Genscape.

"Parece que o mercado acordou do lado errado da cama hoje", disse Jason Bloom, diretor de pesquisa e estratégia de commodities da PowerShares. "O petróleo tende a ser o epicentro do sentimento de risco global."

O setor de energia liderou as perdas no S&P 500, com queda de 1,9%. Já as ações dos bancos caíram 1,5%. O JPMorgan liderou as quedas, com recuo de 2,79%. Por outro lado, as ações de serviços públicos e bens de consumo não-duráveis, tidas como defensivas, foram as únicas que subiram na sessão, com alta de 0,73% e 0,51%, respectivamente. Fonte: Dow Jones Newswires