27°
Máx
13°
Min

Bolsas de NY fecham perto da estabilidade antes de reunião do BCE

As bolsas de Nova York fecharam sem tendência definida nesta quarta-feira, 7. O Dow Jones e o S&P 500 terminaram em terreno negativo mas perto da estabilidade, enquanto o Nasdaq registrou leve alta.

O Dow Jones cedeu 0,06%, aos 18.526,14 pontos. O S&P 500 recuou 0,01%, aos 2.186,16 pontos, enquanto o Nasdaq ganhou 0,15%, aos 5.283,93 pontos, nova máxima histórica de fechamento.

Traders e analistas já esperavam que o movimento fosse limitado antes da série de decisões de política monetária de grandes bancos centrais este mês, que começa com o encontro de amanhã do Banco Central Europeu (BCE). Nos EUA, investidores acreditam que o Federal Reserve não deve elevar os juros em sua reunião dos dias 20 e 21, após dados fracos de manufatura, serviços e emprego. "Para que o mercado se mova para novas máximas perceptíveis, precisamos ver crescimento", disse o gestor Eric Wiegand, do U.S. Bank.

Alguns investidores disseram não esperar que o BCE mexa nos juros na reunião de amanhã, mas vão observar uma série de projeções econômicas para ter uma ideia dos estímulos que devem ser anunciados no futuro. "Há fortes indicações de que eles vão afrouxar ainda mais a política monetária, mas nenhuma indicação de que farão isso agora", disse Megan Greene, economista-chefe na Manulife Asset Management.

O desempenho do S&P 500 foi afetado pelos bens de consumo básicos. A rede de supermercados Whole Food Market caiu 5,3% e a Kroger perdeu 4,1%, depois que a Sprouts Farmers Market reduziu sua estimativa de lucro, levantando temores sobre o impacto da queda dos preços de alimentos sobre os resultados dessas redes. As ações da Sprouts caíram 14%.

As ações de energia no S&P 500 subiram 0,3%, lideradas por uma alta de 6,7% da Apache, que anunciou a descoberta de um novo campo de petróleo no oeste do Texas.

As ações da Apple, que revelou hoje o novo modelo do iPhone, subiram 0,61% no fim do pregão.

Os papéis da Chipotle Mexican Grill avançaram 5,9%, após a Pershing Square Capital Management, do investidor ativista William Ackman, ter revelado na terça-feira que detém uma participação de 9,9% na rede de fast food. Com essa fatia, a Pershing é a segunda maior acionista da Chipotle. Fonte: Dow Jones Newswires