22°
Máx
14°
Min

Bolsas de NY fecham sem direção definida em dia de forte queda do petróleo

O mercado acionário dos Estados Unidos fechou sem direção definida nesta segunda-feira, 22, em um dia de recuo dos preços do petróleo. O S&P 500 marcou a 31ª sessão consecutiva sem registrar movimento de 1% em nenhuma direção, na maior série do tipo em dois anos.

O índice Dow Jones fechou em queda de 0,12% (23,15 pontos), aos 18.529,42 pontos; S&P 500 recuou 0,06% (1,23 ponto), para 2.182,64 pontos; e Nasdaq encerrou em alta de 0,12% (6,22 pontos), aos 5.244,60 pontos.

Os movimentos das ações de empresas do segmento energético foram os mais acentuados, seguindo recentes oscilações nos preços de petróleo. O setor recuou 0,9%. As ações da Marathon Oil caíram 6,90% e a Halliburton viu seus papéis recuarem 3,78%.

"É o epítome dos dias de cão do verão (do Hemisfério Norte)", disse Kent Engelke, da Capitol Securities Management. "Estamos apenas observando", completou.

Na New York Mercantile Exchange (Nymex), o contrato do petróleo WTI para setembro, que venceu nesta segunda, fechou em baixa de US$ 1,47 (3,03%), a US$ 47,05 o barril, e o WTI para outubro, mais líquido, recuou US$ 1,70 (3,46%), a US$ 47,41 o barril, no maior recuo porcentual do barril em Nova York desde o dia 1º de agosto. Na ICE, em Londres, o Brent para outubro teve queda de US$ 1,72 (3,38%), para US$ 49,16 o barril.

O petróleo negociado nos EUA interrompeu uma sequência de sete dias de ganhos. Temores de que o recente rali possa desencadear um aumento da produção pesaram nos preços. Um dólar mais forte, que influenciou nas expectativas de maiores taxas de juros nos EUA, também derrubou os preços de commodities negociadas na moeda americana.

No terreno positivo, Cisco Systems viu suas ações subirem 0,36% e deu apoio ao Nasdaq. Microsoft ganhou 0,09% e McDonald's subiu 0,36%.