26°
Máx
19°
Min

Bolsas de NY se recuperam após recuo forte da sessão anterior

As bolsas de Nova York fecharam em alta nesta segunda-feira, 12, em um dia de recuperação após um pregão bastante negativo. Na sexta-feira, o índice Dow Jones e o S&P 500 encerraram com suas piores quedas porcentuais em um dia desde o fim de junho, quando um plebiscito abriu caminho para a saída do Reino Unido da União Europeia.

Nesta segunda-feira, o Dow Jones subiu 1,32%, para 18.325,07 pontos, o Nasdaq avançou 1,68%, para 5.211,89 pontos, e o S&P 500 fechou em alta de 1,47%, em 2.159,04 pontos.

Na sexta-feira, os mercados acionários foram afetados pelos temores em relação aos próximos passos da política monetária norte-americana. Nesta segunda-feira, em um dia sem indicadores importantes, declarações do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano) continuaram no radar, porém os sinais de que o banco central pode esperar mais antes de elevar os juros colaboraram para o bom humor nas bolsas.

A reunião do Fed ocorre nos dias 20 e 21. Uma dirigente do Fed, Lael Brainard, disse nesta segunda-feira que, diante das pressões inflacionárias modestas, há espaço para se aguardar mais antes de uma alta nos juros. Brainard vota nas decisões de política monetária. Se na sexta-feira os sinais de um dirigente - Eric Rosengren, do Fed de Boston - pressionaram as bolsas, hoje as declarações mais favoráveis a uma política monetária relaxada de Brainard tiveram efeito oposto.

Estrategista-chefe do banco de investimentos Robert W. Baird, Bruce Bittles disse que as declarações de hoje do Fed permitiram que o mercado se recuperasse da queda forte do pregão anterior. Brainard defendeu a "prudência na retirada da acomodação", com o argumento de que a melhora no mercado de trabalho não gerou o efeito desejado na inflação.

Ações que pagam grandes dividendos e são sensíveis a mudanças nos juros estavam entre as que mais ganharam nesta segunda-feira, após liderarem as baixas da sessão anterior. Os papéis das companhias do setor de telecomunicações no S&P 500 subiram 2% e as ações das concessionárias avançaram 1,7%. Entre as ações em destaque, Walmart subiu 2,3% e Procter & Gample teve alta de 2,3%. Fonte: Dow Jones Newswires