27°
Máx
13°
Min

Bolsas europeias fecham em alta com possibilidade de BoE cortar juro em agosto

Os principais índices acionários da Europa fecharam em alta na sessão desta quinta-feira, 14, com exceção do FTSE 100, de Londres, que recuou diante da decisão do Banco da Inglaterra (BoE, na sigla em inglês) de manter os juros intactos. No geral, o índice pan-europeu Stoxx 600 fechou em alta de 0,80%, aos 338,50 pontos.

A manutenção dos juros em 0,5% pelo BOE contrariou as expectativas do mercado e fez as bolsas reduzirem os ganhos, com Londres passando a operar em queda após a divulgação da decisão. A ata da reunião da autoridade monetária mostrou que, apesar de as incertezas terem aumentado após a decisão do Reino Unido de sair da União Europeia, os dirigentes preferem esperar mais um tempo para mudar a política monetária. Na ata também consta uma sinalização de que um corte nos juros pode acontecer em agosto, direcionamento que fez com que as bolsas voltassem a subir com força.

O FTSE 100, de Londres, no entanto, foi o único que permaneceu volátil e fechou em queda de 0,24%, aos 6.654,47 pontos. Apesar da queda, espera-se que o índice retome os ganhos, especialmente em agosto, caso as medidas de afrouxamento monetário se concretizem em agosto. As empresas varejistas lideraram as perdas, com a M&S e a Burberry caindo mais de 2%. Os setores de mineração e de farmácia também recuaram.

Em Frankfurt, o DAX avançou 1,39% e fechou a sessão aos 10.068,30 pontos, ainda que tenha sofrido uma queda após a divulgação do BoE. O Deutsche Bank subiu 3,62% no embalo do balanço otimista do J.P. Morgan. A Basf também ganhou 3,60% após boatos de que a empresa pode retomar negociações com a Monsanto para juntar as operações agroquímicas.

O CAC 40, de Paris, subiu 1,16% e encerrou o dia aos 4.385,52 pontos, com destaque para o Credit Agricole, uma das ações com maior volume de negócios hoje e que teve alta de 2,19%. O Société Generale também avançou 3,59%.

Em Milão, as ações de bancos lideraram novamente os ganhos após os investidores ganharem uma sensação de estabilidade sobre a política no Reino Unido. Assim, o FTSE Mib subiu 1,63% e fechou aos 16.797,52 pontos, com o UniCredit apresentando uma das maiores altas, de 6,63%. O Monte dei Paschi também subiu 4,25% e o Intesa Sanpaolo avançou 2,11%.

Madri também foi influenciada pelos bancos e o índice Ibex 35 fechou em alta de 0,93%, aos 8.552,30 pontos. O Santander subiu 2,69% e o Banco de Sabadell avançou 2,09%.

O PSI 20, de Lisboa, subiu 0,66% e fechou aos 4.584,95 pontos. A Pharol liderou os ganhos, subindo 13,02%. (Com informações da Dow Jones Newswires)