21°
Máx
17°
Min

Bolsas europeias fecham em alta pela 3ª semana seguida, ajudadas por payroll

As principais praças europeias terminaram em alta nesta sexta-feira, dia 4, amparadas por perspectivas de estímulos dos bancos centrais da Europa e do Japão e do governo chinês, além de dados favoráveis da criação de empregos nos Estados Unidos. Esta é a terceira semana seguida de alta na região. Nesse cenário, o Stoxx 600 encerrou em alta de 0,70%, aos 341,80 pontos. Na semana, o ganho foi de 3,09%.

Investidores demonstraram apetite por risco desde o início do pregão, diante das expectativas de estímulos que podem ser anunciados já na semana que vem, quando acontece o reunião do Banco Central Europeu (BCE) e também acaba o Congresso Nacional do Povo da China. O Banco do Japão (BoJ), cuja política monetária não tem surtido efeito sobre a inflação no país, também está sob pressão para adotar novas medidas.

Essas expectativas deram amplo suporte às mineradoras, que lideraram os ganhos. No final da sessão, as ações da Anglo American ganharam 11,07%, enquanto BHP Billiton subiu 9,12% e ArcelorMittal avançaram 6,95%.

O setor financeiro também teve bom desempenho: o Deutsche Bank subiu 2,13%, BNP Paribas ganhou 1,64% e Barclays avançou 4,81%.

Os mercados ganharam um impulso adicional após a divulgação de que a economia dos Estados Unidos criou 242 mil empregos em fevereiro, acima da expectativa de 200 mil de analistas. Na visão de muitos analistas, os números espantam os temores de que o país poderia estar caminhando para uma recessão este ano e trouxeram de volta a chance de que o país possa elevar os juros em 2016.

Em Londres, o índice FTSE-100 encerrou aos 6.199,43 pontos, alta de 1,13% no dia e 1,70% na semana. Além das mineradoras, ações de empresas expostas à China, como a Aberdeen (+5,85%), também tiveram desempenho positivo. Já em Frankfurt, o índice DAX subiu aos 9.824,17 pontos, alta de 0,74% no dia e 3,27% na semana. O papéis da Lufthansa lideraram os ganhos com alta de 4,24%.

Em Paris, o CAC-40 terminou aos 4.456,62 pontos, alta de 0,92% no dia 3,29% na semana. Em Madri, o Ibex-35 subiu aos 8.811,60 pontos, alta de 0,51% no dia e 5,54% na semana. Já o índice PSI-20 da bolsa de Lisboa encerrou aos 4.951,48 pontos, alta de 1,24% no dia e 5,12% na semana.

A bolsa de Milão destoou do conjunto e encerrou em queda de 0,38%, aos 18.278,98 pontos, pressionada pelo setor bancário, que teve queda após o BCE exigir novas medidas de fortalecimento financeiro. Unicredit recuou 2,20%, enquanto Banco Popolare tombou 4,20%. Na semana, no entanto, o índice FTSE-Mib acumulou alta de 4,55%.