26°
Máx
19°
Min

Bolsas europeias fecham sem direção única em dia marcado por volatilidade

Os principais índices acionários da Europa fecharam sem direção única nesta quinta-feira, 21, dia marcado por volatilidade diante da reunião de política monetária do Banco Central Europeu (BCE). A taxa de refinanciamento da região permaneceu na mínima histórica de 0% e a taxa de depósitos também foi mantida em -0,40%.

Apesar da manutenção, o BCE deixou aberta a possibilidade de tomar novas medidas de estímulo na próxima reunião, o que deixou os mercados confusos sobre o que esperar para o futuro. A flutuação pode ser vista no fechamento do índice pan-europeu Stoxx 600, que ficou próximo da estabilidade, em queda de 0,07%, aos 340,58 pontos.

Em Londres, o FTSE 100 caiu 0,43% e encerrou os negócios aos 6.699,89 pontos, com as companhias aéreas puxando o índice para baixo. A EasyJet divulgou resultados financeiros ruins e, junto com a International Consolidated Airlines, sofreu corte de rating pelo Credit Suisse durante o dia, duas notícias que contaminaram o setor aéreo. As ações da primeira recuaram 5,32%, enquanto as da segunda caíram 3,59%.

Seguindo seus pares britânicos, o DAX, de Frankfurt, também foi impactado pelos maus resultados das companhias aéreas, mas conseguiu fechar em alta de 0,14%, aos 10.156,21 pontos. A Lufthansa teve um dos piores desempenhos do índice e caiu 5,95%.

Paris fechou no campo negativo, mas próximo da estabilidade, com o CAC 40 caindo 0,08%, aos 4.376,25 pontos. A Air France teve uma das maiores quedas porcentuais do índice e recuou 4,11%, também puxada pelos resultados ruins da EasyJet.

O FTSE Mib, de Milão, subiu 0,25%, aos 46.805,40 pontos, com os bancos vivendo um dia positivo e impulsionando o índice. O UniCredit avançou 2,13%, enquanto o Monte dei Paschi di Siena ganhou 1,77%.

Em Madri, o Ibex 35 fechou no campo positivo, próximo da estabilidade. A valorização de 0,09% fez o índice chegar aos 8.583,60 pontos, puxado novamente pelos bancos. O Banco Popular Español teve a maior alta porcentual, subindo 3,83%, e o Santander avançou 1,31%.

Lisboa acompanhou os pares espanhol e italiano e foi puxada pelo setor bancário, com o PSI 20 encerrando o dia em alta de 0,47%, aos 4.626,13 pontos. O Banco Comercial Português ficou com a maior alta porcentual, de 3,61%.(Com informações da Dow Jones Newswires)