26°
Máx
19°
Min

Bolsas europeias fecham sem sinal único; ação do Deutsche Bank se recupera

As bolsas europeias fecharam sem sinal único nesta sexta-feira, 30. Os mercados estiveram boa parte da sessão no território negativo, mas melhoraram com a reação do papel do Deutsche Bank. A ação foi beneficiada por rumores de que o banco pode ter de pagar uma multa bem menor em um processo nos Estados Unidos, o que abriu espaço para a recuperação. O índice pan-europeu Stoxx 600 teve alta de 0,11% (0,38 pontos), para 343,10 pontos.

No início do pregão, a ação do Deutsche chegou a cair 8,7% em Frankfurt, diante dos temores sobre as condições da instituição e as possíveis implicações disso para o sistema bancário europeu. Mais para o fim do pregão, contudo, foi divulgada a notícia de que a multa que o Deutsche terá de pagar nos EUA em um processo por irregularidades em negócios com hipotecas pode ficar bem abaixo do antes divulgado, o que fez a ação inverter o sinal. O montante a ser pago pelos banco nos EUA pode ser divulgado neste fim de semana. A ação fechou hoje em alta de 6,39% em Frankfurt, mas ainda assim recua quase 50% ao longo deste ano. Em comunicado mais cedo, o Deutsche disse que está confiante de que a grande maioria dos investidores entende sua posição fiscal estável e o progresso em sua estratégia.

Na bolsa de Londres, o índice FTSE-100 fechou em queda de 0,29%, em 6.899,33 pontos. Na semana, o FTSE-100 caiu 0,15%, mas no mês de setembro ele avançou 1,15%. No setor bancário, Lloyds teve queda de 1,69%, embora o Barclays tenha subido 0,30%. No setor de energia, a mineradora Glencore recuou 1,71% e a petroleira BP caiu 0,22%. Alecto Minerals teve queda de 21,43%, após divulgar resultados negativos.

Em Frankfurt, o índice DAX subiu 1,01% hoje, para 10.511,02 pontos. Na semana, o índice caiu 1,09% e no mês teve baixa de 1,38%. Mesmo com a alta forte do Deutsche no fim do pregão, no setor bancário Commerzbank recuou 1,21%. No setor de energia, E.ON teve baixa de 0,36%, enquanto a companhia aérea Lufthansa subiu 1,30%.

O índice CAC-40, da bolsa de Paris, avançou 0,10%, para 4.448,26 pontos. Durante a semana, o CAC-40 teve queda de 0,90% e no mês ele caiu 0,21%. A ação do Crédit Agricole subiu 0,95% e a do BNP Paribas ganhou 0,80%, porém a do Société Générale teve baixa de 0,11%. A petroleira Total caiu 1,17%

Em Milão, o FTSE-MIB avançou 0,38%, chegando aos 16.401,00 pontos. Na semana, o índice caiu 0,32% e no mês ele recuou 2,90%. O setor bancário italiano terminou a sessão em geral com bons resultados: a ação do Banca Popolare di Mileno subiu 6,95%, Banco Popolare ganhou 4,28% e UniCredit subiu 1,77%, mas Monte dei Paschi di Siena recuou 1,17%.

Na bolsa de Madri, o Ibex-35 teve baixa de 0,19%, para 8.779,40 pontos. Na comparação semanal, o Ibex-35 perdeu 0,50%, porém no mês ele subiu 1,08%. O papel do Santander terminou o dia com estabilidade, Banco Popular Español subiu 1,66% e Bankia avançou 2,24%. Telefónica, por outro lado, caiu 4,04%.

Em Portugal, o índice PSI-20 recuou 0,18% em Lisboa, para 4.597,29 pontos. O índice subiu 0,46%, embora tenha tido baixa de 2,40% no mês. Hoje, Banco Comercial Português subiu 0,65% e Banco BPI avançou 0,09%, enquanto Galp Energia teve baixa de 0,21% e Sonae recuou 0,44%. (Com informações da Dow Jones Newswires)