21°
Máx
17°
Min

Bolsas europeias recuam com PIB chinês e expectativa com reunião sobre petróleo

Os principais índices europeus fecharam em queda nesta sexta-feira, 15, num movimento de cautela em reação à divulgação do Produto Interno Bruto (PIB) do primeiro trimestre da China, que apontou para o menor crescimento em 12 meses desde 2009, e também com a reunião de grandes produtores de petróleo em Doha, no domingo, 17. O clima levou o índice pan-europeu Stoxx 600 a encerrar um rali de cinco dias e fechar em queda de 0,35%, aos 342,79 pontos. Na semana, por outro lado, o índice acumula alta de 3,29%.

Os mercados europeus amanheceram com a notícia de que a economia da China cresceu 6,7% nos primeiros três meses do ano. O número veio em linha com as expectativas do mercado, mas sinalizou o ritmo de crescimento mais lento desde os 6,2% registrados no primeiro trimestre de 2009. Apesar disso, dados como o da produção industrial e o das vendas no varejo vieram melhores do que o esperado, alimentando esperanças de que a desaceleração no país possa ter encontrado o seu poço.

Operadores citaram também as expectativas acerca da reunião de membros da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) e outros grandes produtores no domingo, para discutir um possível congelamento da produção aos níveis do início do ano. Há uma certa desconfiança a respeito de qual resultado real o encontro pode trazer para o quadro de excesso de oferta mundial. Hoje, o ministro do Irã, Bijan Zanganeh, adiantou que não vai participar da reunião do fim de semana.

Para Richard Perry, da Hantec Markets, o resultado da reunião "pode ter implicações significativas para o apetite por risco e o sentimento geral em todos os ativos".

Em Londres, o índice FTSE-100 fechou em queda de 0,34%, aos 6.343,75 pontos, pressionado ainda pelo desempenho das construtoras, que ressentem uma avaliação negativa feita esta semana pelo Banco da Inglaterra (BoE) sobre as perspectivas do mercado imobiliário britânico. Berkeley Group recuou 3,83%, enquanto Persimmon cedeu 1,58%. Na semana, por outro lado, o índice acumula alta de 2,25%.

Em Paris, o índice CAC-40 fechou aos 4.495,17 pontos, queda de 0,36% no dia e alta de 4,46% na semana. As ações do setor automotivo lideraram as perdas: Peugeot caiu 3,34% e Valeo 3,75%. O Carrefour, por outro lado, subiu 3,82% após publicar seus resultados trimestrais e sinalizar crescimento no Brasil e no sul da Europa.

Na Alemanha, o índice DAX da bolsa de Frankfurt encerrou aos 10.051,57 pontos, queda de 0,42% na sessão e alta de 4,46% na semana. As perdas foram lideradas pela Volkswagen (-2,36%), que relatou queda nas vendas globais em março. Em Milão, o FTSE-Mib fechou com perda de 0,39%, aos 18.257,35 pontos. Na semana, a bolsa italiana acumula ganho de 4,30%.

Em Madri, o índice Ibex-35 caiu aos 8.850,90 pontos, queda de 0,12% no dia e alta de 5,02% na semana. Em Lisboa, o PSI-20 cedeu aos 5.019,36 pontos, queda de 0,15% no dia e alta de 3,31% na semana.(Com informações da Dow Jones Newswires)