22°
Máx
17°
Min

Bolsas europeias sobem com expectativa com Yellen e notícias corporativas

As bolsas da Europa encerraram o pregão desta terça-feira, 29, majoritariamente em alta, em meio à expectativa com o discurso da presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA), Janet Yellen, e noticiário corporativo. O índice pan-europeu Stoxx 600 terminou com ganho de 0,50%, aos 336,79 pontos.

Os mercados acionários europeus voltaram a operar nesta terça-feira do feriado de Páscoa, que no continente dura quatro dias. Com a agenda de indicadores locais fraca, os operadores se concentraram no tom do outro lado do Atlântico.

Em Nova York, o dia é de expectativa em torno do discurso de Yellen, que começou após o fechamento das bolsas europeias. A presidente da instituição manteve o tom moderado e inclinado à manutenção das taxas de juros baixas.

"Todos os mercados estão em compasso de espera pelo discurso de Yellen", disse Mike van Dulken, chefe de pesquisa da Accendo Markets. "Os mercados buscam por qualquer pista que possa determinar o ritmo de subida de alta das taxas nos EUA, porque, é claro, há um efeito para o dólar e para as empresas em todo o globo."

A bolsa de Paris foi a que teve o melhor desempenho na praça europeia, terminando com alta de 0,85%, aos 4.366,67 pontos. Os papéis da Veolia Environnement se destacaram entre as maiores altas (+2,80%), depois da empresa de saneamento ser elevada para 'outperform' (acima da média para o mercado) pelo banco RBC.

O índice IBEX-35, da bolsa de Madri, fechou em alta de 0,21%, aos 8.808,30 pontos, impulsionado pelos ganhos da Telefónica (+1,48%). As ações da companhia ganharam força após o presidente e executivo-chefe, César Alierta, anunciar que vai renunciar ao cargo.

Em Frankfurt, o índice DAX oscilou entre altas e baixas e terminou com leve ganho de 0,37%, aos 9.887,94 pontos. As ações da E.ON subiram 0,34%, após a empresa de energia elevar sua previsão de lucro. Por outro lado, as ações da Volkswagen caíram 1,57%, depois de notícias, não confirmadas, de que a montadora pode cortar seus dividendos de 2015.

A bolsa de Londres foi a mais influenciada pela queda dos preços das commodities. O índice FTSE-100 terminou em leve queda de 0,01%, a 6.105,90 pontos. Os papéis da petroleira BP cederam 2,14% e os da mineradora Glencore recuaram 4,89%.

A bolsa de Milão fechou em alta de 0,03%, em 18.171,86 pontos, e a de Lisboa recuou 1,03%, para 5.045,61 pontos. (Com informações da Dow Jones Newswires)