24°
Máx
17°
Min

Bolsas fecham em alta em NY, sustentadas pelo avanço do petróleo

Um amplo rali impulsionado pelo avanço do petróleo levou os principais índices de ações das bolsas de Nova York a registrarem nesta terça-feira, 10, a maior alta diária em várias semanas. Todos os dez setores incluídos no índice S&P 500 subiram nesta terça-feira, com destaque para ações de energia e bancos.

O índice Dow Jones subiu 222,44 pontos (1,26%) e fechou aos 17.928,35 pontos. O Nasdaq avançou 59,67 pontos (1,26%), para 4.809,88 pontos, e o S&P 500 ganhou 25,70 pontos (1,25%), para 2.084,39 pontos. Todos chegaram ao fim da sessão perto das máximas intraday.

Goldman Sachs subiu 2,5%, contribuindo para cerca de 27 pontos de alta no Dow Jones. JPMorgan avançou 1,4%. As ações da Allergan ganharam 5,3% depois de a fabricante do Botox apresentar resultados trimestrais desanimadores, mas anunciar planos para recomprar em torno de US$ 10 bilhões em ações.

Dados melhores que o previsto sobre inflação na China contribuíram para o tom positivo das bolsas. O índice de preços ao produtor (PPI, na sigla em inglês) da China caiu 3,4% em abril, ante mesmo mês do ano passado, melhor que a estimativa de queda de 3,8%. O índice de preços ao consumidor (CPI, em inglês) subiu 2,3%, mesma taxa registrada em março.

"A China tem sido uma grande fonte de desinflação há um bom tempo", afirmou David Stubbs, estrategista global do JPMorgan Asset Management. "Qualquer coisa que mostre que a perspectiva doméstica da China está mais firme do que o imaginado alimentará a sensação de que os riscos não são tão grandes", acrescentou.

De todo modo, os ativos que os investidores consideram seguros - como ouro e Treasuries - ficaram estáveis nesta terça-feira, em um sinal de que muitos não estão convencidos de que o rali das bolsas vai durar. "O que temos é um mercado com volumes baixos e sem muita convicção", disse Rob Bernstone, diretor-gerente para operações com ações do Credit Suisse. Fonte: Dow Jones Newswires