22°
Máx
16°
Min

Bolsas fecham em queda na véspera da votação no Reino Unido

As bolsas de Nova York recuaram nesta quarta-feira, 22, com investidores se preparando para a decisão sobre a permanência do Reino Unido na União Europeia (UE). Na véspera do plebiscito, a divulgação de duas pesquisas mostrando uma ligeira vantagem para os que defendem a saída da UE fez os índices acionários devolverem os ganhos da primeira parte do pregão e encerrarem em queda.

Levantamento divulgado no início da tarde pelo instituto Opinium mostrou que o campo do Brexit (saída) liderava com 45% das intenções de voto, contra 44% do Bremain (permanência). Poucas horas depois, uma segunda pesquisa, feita pelo instituto TNS, mostrou um resultado parecido: o voto pela saída da UE vencendo por 43% a 41%.

"Agentes de dois lados do Atlântico continuam a se proteger à medida que nos aproximamos da votação", disse Tom Carter, diretor-gerente da JonesTrading.

As ações da Tesla Motors foram destaque negativo (-10,45%) após o executivo-chefe Elon Musk anunciar planos para comprar a empresa de energia SolarCity (+3,26%), da qual ele também é o CEO e principal acionista.

Outro destaque de queda foi o setor de energia, que liderou as perdas após um relatório do Departamento de Energia (DoE) mostrar que houve queda de 917 mil barris nos estoques norte-americanos de petróleo na última semana, bem abaixo da recuo de 1,6 milhão de barris estimado por analistas consultados pela Dow Jones Newswires. O dado fez os contratos mais líquidos de petróleo reverterem os ganhos e encerrarem em queda, abaixo do patamar psicológico de US$ 50 por barril.

No final, o índice Dow Jones teve perda de 0,27%, aos 17.780,83 pontos, o S&P 500 recuou caiu 0,17%, aos 2.085,45 pontos, e o Nasdaq cedeu 0,22%, aos 4.833,32 pontos. Fonte: Dow Jones swires.