24°
Máx
17°
Min

Bolsas sobem em NY após Fed sinalizar que juros subirão mais lentamente

As bolsas de Nova York fecharam em alta nesta quarta-feira, 16, depois de o Federal Reserve (Fed, banco central dos EUA) manter as taxas básicas de juros e sinalizar que haverá menos elevações neste ano do que o previsto anteriormente.

A faixa dos fed funds foi mantida entre 0,25% e 0,50%, como esperado pela maior parte dos agentes dos mercados. No entanto, a mediana das projeções dos dirigentes da instituição para a taxa no fim deste ano diminuiu de 1,375% para 0,875%, o que significa duas elevações de juros até lá, menos do que o calculado antes. Para o fim de 2017, a projeção caiu de 2,375% para 1,875% e para 2018 ela foi de 3,250% para 3,0%.

Na reunião de dezembro, quando o Fed elevou a taxa dos fed funds pela primeira vez em quase uma década, o chamado gráfico de pontos indicava que seriam feitos quatro aumentos de juros neste ano, mas uma pesquisa recente realizada pelo Wall Street Journal mostrou que economistas esperavam apenas duas elevações. As projeções de hoje do Fed colocam, portanto, as expectativas do banco central mais perto das expectativas dos investidores.

"O Fed e o mercado estarem na mesma página é um pouco de alívio", comentou John Canally, estrategista-chefe da LPL Financial. "Isso remove uma das confusões que temos visto neste ano." Na opinião de Larry Weiss, diretor de operações da Instinet, o anúncio do Fed "dá a alguns investidores uma sensação de segurança que eles não tinham" sobre o rumo das taxas de juros.

O índice Dow Jones fechou com alta de 74,23 pontos (0,43%), aos 17.325,76 pontos. O Nasdaq subiu 35,30 pontos (0,75%), para 4.763,97 pontos, e o S&P 500 avançou 11,29 pontos (0,56%), para 2.027,22 pontos. Segundo operadores, o movimento das ações foi puxado por investidores de curto prazo, como fundos de hedge, e não fundos mútuos.

As ações de bancos contrariaram a tendência positiva, já que a manutenção dos juros pelo Fed significa que o spread (prêmio) entre o que os bancos cobram sobre empréstimos e o que pagam sobre depósitos não subirá tanto quanto imaginado antes. Bank of America caiu 1,9% e Morgan Stanley perdeu 1,1%. Na ponta oposta, Chevron subiu 1,20%, ajudada pelo tom "dovish" do Fed e pela alta do petróleo nesta sessão.

Os indicadores dos EUA divulgados pela manhã mostraram que a economia do país segue se recuperando. O índice de preços ao consumidor (CPI, na sigla em inglês) caiu 0,2% em fevereiro ante janeiro, mas o núcleo avançou mais que o previsto na comparação mensal e teve a maior alta anual desde maio de 2012, de 2,3%.

Além disso, as construções de moradias novas aumentaram 5,2% em fevereiro ante janeiro, para o nível mais alto desde setembro do ano passado. Por outro lado, a produção industrial norte-americana caiu 0,5% na mesma comparação, mais que a previsão de queda de 0,2%. Fonte: Dow Jones Newswires