26°
Máx
19°
Min

Bolsas sobem em NY com expectativa de manutenção de políticas acomodatícias

As bolsas de Nova York encerraram em alta nesta sexta-feira, 1, no primeiro pregão do segundo semestre do ano, beneficiadas pela expectativa de que bancos centrais de todo o mundo manterão seus estímulos para impedir que a decisão do Reino Unido de deixar a União Europeia afete os mercados.

O volume de negócios, no entanto, foi limitado pela iminência do feriado de 4 de julho nos Estados Unidos, que se traduziu em volumes baixos de negociação nesta sessão. O Dow Jones fechou em alta de 0,11%, aos 17.949,37 pontos, o S&P 500 avançou 0,19%, aos 2.102,95 pontos, e o Nasdaq ganhou 0,41%, aos 4.862,57 pontos.

Investidores miram a perspectiva de que bancos centrais de todo o mundo continuarão inundando os mercados com liquidez para dar apoio à economia. Isso manteve em alta os mercados acionários no último pregão da semana. Essa opinião ficou mais concreta ontem, quando o presidente do Banco da Inglaterra (BoE), Mark Carney, sinalizou cortes de juros nas próximas reuniões para minimizar as consequências negativas do resultado do plebiscito da última semana.

Hoje, Stanley Fischer e Loretta Mester, do Federal Reserve, também pontuaram a necessidade analisar os impactos do divórcio na Europa antes de prosseguir com o plano de elevar juros nos EUA.

Apesar da alta, muitos investidores afirmam que os riscos de longo prazo continuam presentes, particularmente na Europa.

"Ainda é muito cedo para assumir que, simplesmente porque os mercados acionários se recuperaram, não há com o que se preocupar", disse Abi Oladimeji, estrategista-chefe da Thomas Miller Investment, em Londres. Fonte: Dow Jones Newswires