28°
Máx
17°
Min

Bolsas sobem em NY, mas Dow Jones e S&P 500 têm 2ª semana seguida de queda

Os índices acionários das bolsas de Nova York fecharam a sexta-feira, 6, em alta, mas caíram pela segunda semana consecutiva. As ações vêm tendo dificuldade para ganhar tração após um rali de vários meses, pressionadas por indicadores econômicos ruins, balanços corporativos fracos e volatilidade nos preços do petróleo.

O índice Dow Jones subiu 79,92 pontos (0,45%), para 17.740,63 pontos, e caiu 0,19% na semana. Entre a mínima deste ano, atingida em 11 de fevereiro, e o dia 20 de abril, o índice acumulou ganho de quase 16%. Desde então, recuou quase 2%. O S&P 500 avançou 6,51 pontos (0,32%), para 2.057,14 pontos, mas perdeu 0,40% na semana. O Nasdaq fechou na máxima do dia, com alta de 19,07 pontos (0,40%), aos 4.736,16 pontos. Na semana, o Nasdaq teve queda de 0,82%, o terceiro declínio semanal seguido.

Tendo em vista "a magnitude do rali que vimos desde as mínimas em meados de fevereiro, uma pequena consolidação deve ser esperada", afirmou Ben Pace, diretor de investimentos da HPM Partners.

A alta em Wall Street no fim do dia representou uma reversão das perdas da manhã, quando o Dow Jones chegou a cair 80 pontos e o S&P 500 brevemente apresentou queda no ano, depois de um relatório de empregos pior que o previsto nos EUA.

O Departamento do Trabalho informou que a economia norte-americana criou 160 mil empregos em abril, menos que os 205 mil previstos. No entanto, alguns investidores destacaram o aumento de 2,5% nos salários na comparação anual, um avanço maior que o registrado em março. Além disso, a taxa de desemprego se manteve em 5%.

"Nós ainda estamos crescendo e nenhuma economia pode criar mais de 200 mil empregos por mês para sempre", afirmou Wayne Lin, gerente de carteira da QS Investors.

Entre os destaques corporativos, a Square fechou com queda de 22% depois de anunciar um prejuízo maior que o esperado no primeiro trimestre deste ano. Já a Activision Blizzard, que teve resultado bom no primeiro trimestre e elevou suas projeções para o ano, subiu 8,5%, liderando os ganhos entre os componentes do S&P 500. Fonte: Dow Jones Newswires