28°
Máx
17°
Min

Bovespa abre em alta puxada por Vale, mas passa a cair em movimento de realização

(Foto: HUGO ARCE/Fotos Públicas) - Bovespa abre em alta puxada por Vale, mas passa a cair em movimento de realização
(Foto: HUGO ARCE/Fotos Públicas)

A Bovespa bem que tentava caminhar para a sexta sessão de alta seguida nesta segunda-feira, 7, impulsionada pelo avanço de cerca de 10% das ações da Vale. No entanto, o fôlego foi limitado e pouco depois do início dos negócios teve início um movimento de realização dos ganhos de 18,1% acumulados nos últimos cinco pregões. Às 11h13, o Ibovespa recuava 0,24%, aos 48.966,27 pontos.

No mesmo horário, os papéis da mineradora exibiam valorização de 10,27% (ON) e 7,85% (PNA), e as PN da Bradespar, importante acionista da Vale, subiam 8,22%, na esteira de outras mineradoras globais, como BHP Billiton e Rio Tinto. A companhia é beneficiada pela notícia de que o preço do minério de ferro subiu 19,5% no mercado à vista chinês e alcançou US$ 62,6 a tonelada seca, de acordo com dados do The Steel Index.

O suporte para a forte recuperação do minério de ferro vem da expectativa por estímulos por parte de Pequim. Nas bolsas do país asiático, os investidores privilegiaram ações de empresas que devem ser mais beneficiadas por políticas que estão sendo apresentadas durante o Congresso Nacional do Povo, uma importante reunião anual do legislativo chinês, que teve início no sábado e prosseguirá ainda por vários dias.

No campo político, o mercado monitora a articulação do Planalto para lidar com a crise ao mesmo tempo em que a oposição trabalha no sentido oposto, para que o processo de impeachment seja retomado. A delação premiada de Delcídio, ex-líder do governo no Senado, que deve ser homologada nos próximos dias pelo Supremo, é considerada o ponto central para dar impulso ao processo de afastamento da petista.