23°
Máx
12°
Min

Bovespa cai pressionada por bancos e marca mínimas após Nova York

A Bovespa abriu a terça-feira, 21, em queda e renovou mínimas há instantes, com a abertura dos negócios em Wall Street. O Ibovespa devolve parte dos ganhos de 1,61% da véspera em meio a incertezas em torno do plebiscito que decidirá o futuro do Reino Unido na União Europeia na quinta-feira. Às 10h40, o índice à vista recuava 0,60%, aos 50.025,55 pontos, na menor cotação do dia.

Internamente, a pressão negativa vem principalmente do setor financeiro, em meio à percepção de que os bancos serão afetados pelo pedido de recuperação judicial bilionário da Oi. Conforme relatório do Credit Suisse, as consequências para as instituições financeiras devem ser "muito negativas", principalmente para Banco do Brasil e Itaú Unibanco. BB ON cedia 4,88%, Itaú Unibanco recuava 1,63% e Bradesco ON perdia 1,14%.

Em Nova York, o Dow Jones subia 0,06%, o S&P 500 tinha ganho de 0,09% e o Nasdaq avançava 0,21%.

Os mercados estão na expectativa agora pela participação da presidente do Federal Reserve, Janet Yellen, em sabatina no Senado norte-americano a partir das 11 horas. Ela fará um discurso e em seguida responderá a questões da comissão bancária no Senado. O Fed deve divulgar o discurso na íntegra assim que a apresentação começar.

Os investidores vão monitorar de perto os discursos para ver, por exemplo, se é possível descartar mesmo uma alta de juros na reunião de julho e em busca de novos comentários sobre eventuais impactos do Brexit nos EUA.