21°
Máx
17°
Min

Bovespa é pressionado por cautela política, mas reduz perdas com Nova York

A Bovespa reduziu as perdas, com a abertura em alta das Bolsas em Nova York em meio à recuperação do petróleo nesta quarta-feira, 6. Mas o viés negativo no mercado brasileiro se mantém, sustentado por incertezas no cenário político doméstico e em razão da perda de força dos índices acionários americanos após os primeiros negócios.

Às 10h40, o Ibovespa recuava 0,45%, aos 48.797,60 pontos. Em Nova York, o Dow Jones caía 0,20%; S&P500, -0,05%; e Nasdaq, +0,24%.

Estão no radar interno a evolução da contagem dos votos favoráveis e contrários ao impeachment da presidente Dilma; a apresentação do relatório do deputado Jovair Arantes (PTB-GO) na Comissão do Impeachment da Câmara, às 14 horas; e o desfecho da reunião das bancadas do PP na Câmara e no Senado para avaliar se desembarcam ou não da base aliada.

Na área corporativa, Petrobras se beneficia da recuperação do petróleo, após uma queda da commodity de 13% nas últimas duas semanas. Os preços da commodity reagem a uma redução no volume estocado da commodity bruta nos EUA na semana passada e ao avanço do PMI composto da China, que engloba os setores industrial e de serviços, para 51,3 em março (ante 49,4 em fevereiro) - maior patamar em 11 meses.

Já as ações da Vale subiam discretamente há pouco, após computarem quedas de 1,50% (ON) e 0,94% (PNA) na abertura com o recuo do minério de ferro. Na China, o preço do minério de ferro caiu 0,4% no mercado à vista nesta quarta, para US$ 53,8 a tonelada seca, de acordo com dados do The Steel Index.