21°
Máx
17°
Min

Bovespa ronda a estabilidade, após abertura negativa em Nova York

Depois de saltar 5,04% nas últimas duas sessões, a Bovespa dá sinais de fraqueza e ronda a estabilidade praticamente desde a abertura nesta quinta-feira, 28, em sintonia com a fraqueza de suas pares no exterior, depois da frustração com a falta de medidas anunciadas pelo Banco do Japão (BoJ). Às 10h35, o Ibovespa recuava 0,12%, aos 54.414,32 pontos, pressionado principalmente pelo setor financeiro.

No caso dos bancos os investidores avaliam os números do Bradesco, divulgados antes da abertura. A instituição reportou lucro líquido contábil de R$ 4,121 bilhões no primeiro trimestre deste ano, em linha com o esperado, mas os papéis PN do Bradesco recuam 2,43%.

Por outro lado, as ações da Vale lideram os ganhos do Ibovespa, em alta de 5,30% (ON) e 5,11% (PN), beneficiadas pela valorização de 4,0% do minério de ferro no mercado à vista chinês, para US$ 62,9 a tonelada seca, de acordo com dados do The Steel Index. Mais cedo, a mineradora informou que conseguiu reverter prejuízo e apresentou um lucro líquido de R$ 6,311 bilhões no primeiro trimestre do ano passado.

Em Wall Street, as bolsas de Nova York iniciaram os negócios e o sinal negativo predomina, com o Dow Jones em queda de 0,59%, o S&P 500 em baixa de 0,39% e o Nasdaq, recuo de 0,09%. Depois de o Federal Reserve mostrar que está sem pressa para elevar os juros, o Banco do Japão surpreendeu ao não adotar estímulos monetários adicionais nesta quinta-feira e ajudou a aumentar a aversão ao risco em Wall Street.

Dados do Produto Interno Bruto (PIB) dos Estados Unidos divulgados mais cedo mostraram a economia norte-americana se desacelerando mais que o previsto no primeiro trimestre e não ajudaram a melhorar o humor.