28°
Máx
17°
Min

Bovespa sobe 1,13% e termina julho com ganho de 11,22%

A Bovespa fechou em alta de 1,13% nesta sexta-feira, 29, e atingiu 57.308,20 pontos, novo pico de 2016. Em julho, os ganhos acumulados foram de 11,22%. A valorização da bolsa pelo segundo mês consecutivo é atribuída a uma combinação entre a melhora de percepção com o Brasil e a manutenção de condições externas para o ingresso de recursos externos ao País. Segundo analistas, as incertezas quanto ao cenário político interno e ritmo da economia internacional devem persistir em agosto. No entanto, a aposta de que não haverá aumento de juros nos Estados Unidos este ano deve manter as ações brasileiras atraentes para o investidor estrangeiro.

Uma das principais notícias da sexta-feira foi a alta de 1,2% na prévia do PIB dos Estados no segundo trimestre, número bem abaixo do previsto (2,6%). O sinal de desaceleração no ritmo de crescimento americano reforçou a percepção de que o Federal Reserve (Fed, banco central dos EUA)deixará a elevação de juros para 2017, sem por enquanto interferir nos fluxos de recursos a países emergentes. Com isso, o dólar se enfraqueceu em todo o mundo e os ativos de renda variável reagiram com alta.

Entre as ações que mais contribuíram para a alta do Ibovespa estiveram os bancos, justamente o destaque de queda na véspera. Bradesco PN, que ontem havia caído 4,45% após a divulgação de balanço trimestral e aceitação de denúncia na Justiça contra seus executivos, hoje subiu 3,13%. Banco do Brasil, que vinha de uma queda de 3,77% no pregão anterior, subiu 1,84%. Itaú Unibanco (também +1,84%) e Santander Unit (+2,57%) foram os outros destaques do setor.

As ações da Petrobras também contribuíram para a alta do Ibovespa, com ganhos de 5,02% (ON) e 3,76% (PN). Mais que a alta dos preços do petróleo no mercado internacional, as ações da estatal petrolífera reagiram às notícias de avanços no plano de desinvestimento da companhia. Na madrugada, a Petrobras anunciou a venda da participação de 66% no bloco exploratório BM-S-8, no pré-sal, para a Statoil Brasil Óleo e Gás por US$ 2,5 bilhões. A empresa ainda anunciou negociações com a mexicana Alpek para a venda de sua participação na PetroquímicaSuape e na Citepe.

A divulgação de resultados trimestrais também interferiu nos negócios no último pregão de julho. Embraer ON despencou 15,45% após divulgar prejuízo líquido de US$ 99,4 milhões, quando a expectativa dos analistas era de lucro de US$ 116,9 milhões. Ambev ON caiu 3,29%, após a fabricante de bebidas anunciar lucro líquido de R$ 2,046 bilhões, com queda de 18,4% sobre o mesmo período do ano passado.