23°
Máx
12°
Min

Bovespa sobe puxada por Petrobras e Vale em dia de recuperação das commodities

A Bovespa sobe de forma consistente na abertura desta segunda-feira, 22, refletindo a melhora do humor dos mercados internacionais com a recuperação das commodities. Às 10h35, o Ibovespa avançava 2,60%, aos 42.625,03 pontos, em uma manhã de ganhos generalizados. O impulso vem principalmente das ações de Petrobras, Vale e siderúrgicas. No exterior, os contratos futuros de petróleo exibem valorização de mais de 5,0% e ajudam a dar fôlego às bolsas na Europa e aos índices futuros em Wall Street. Na esteira, os papéis da estatal sobem 5,49% (ON) e 4,93% (PN).

As ações da Vale, por sua vez, são beneficiadas pela alta de 7,0% do minério de ferro no mercado à vista chinês, para US$ 50,3 a tonelada seca, de acordo com dados do The Steel Index. Essa é a primeira vez que o valor da tonelada no insumo ultrapassa a barreira de US$ 50 a tonelada desde outubro do ano passado. As ações ON e PNA da mineradora subiam 6,42% e 5,52%, respectivamente. Na Ásia, as bolsas chinesas deram continuidade à recuperação da semana passada, após Pequim anunciar novas medidas para incentivar o setor imobiliário e mudar o presidente do órgão regulador de mercados do país.

Internamente, os investidores seguem acompanhando os desdobramentos da 23ª fase da Lava Jato, batizada de "Operação Acarajé". Em entrevista coletiva, a Polícia Federal informou que os investigadores identificaram contrato entre offshores da mulher do marqueteiro do PT João Santana, Mônica Moura, e da Odebrecht. O publicitário teve a prisão decretada mais cedo. A offshore aberta no Panamá, a Shellbill Finance SA, que seria do casal, é o foco central das investigações. Nesta manhã, estão em cumprimento 51 mandados de prisão preventiva e temporária, busca e apreensão, condução coercitiva e bloqueio de ativos, para aprofundar a investigação de possíveis crimes de corrupção, evasão de divisas e lavagem de dinheiro oriundo de desvios da Petrobras.