28°
Máx
17°
Min

Brasil é um dos três principais países para a Shell no mundo, diz CEO

O CEO da Royal Dutch Shell, Ben Van Beurden, afirmou nesta terça-feira, 27, após encontro com o presidente Michel Temer, que veio reforçar a confiança da companhia para fazer investimentos no Brasil, mas preferiu não comentar a situação política, após o impeachment. "O importante destes últimos acontecimentos é criar um clima propício para investimentos", afirmou.

O executivo lembrou a aquisição da britânica BG, em abril do ano passado, e disse que isso deu um papel de destaque ao Brasil para a companhia. Entre os motivos declarados que levaram a anglo-holandesa Shell a fazer uma oferta pela BG, estavam, justamente, os campos de exploração marítima da petroleira britânica em águas profundas no Brasil.

Segundo ele, com isso o Brasil passou a ser um dos três principais países para a Shell no mundo. "O que investimos no Brasil é cerca de 15% dos investimentos globais; nossa posição no Brasil é jovem e requer que invistamos bastante capital", completou.

Beurden disse ainda que a empresa tem "muita confiança no País, na parceria que temos com a Petrobras". "Viemos aqui para falar com o presidente sobre a confiança que temos no País, falamos também de alguns pontos que achamos que possam ser melhorados", completou, sem dar mais detalhes.

O executivo disse ainda que já se encontrou com o ministro de Minas e Energia, Fernando Bezerra Coelho Filho, e que terá uma reunião ainda hoje com o presidente da Petrobras, Pedro Parente. "Estou muito confiante sobre o que podemos fazer juntos, nós, o governo e a indústria", afirmou, ressaltando que a confiança no País não mudou desde a aquisição da BG no ano passado.

Petrobras

Questionado se a situação da Petrobras, atualmente sem grau de investimento, não preocupava o executivo, Beurden destacou que a estatal "tem feito escolhas adequadas nos seus investimentos". "Nós trabalhamos com a Petrobras há muitos anos tanto aqui quanto fora. Petrobras é uma empresa de classe mundial no que se refere à capacidade técnica e isso não mudou", afirmou. "É óbvio que acompanhamos todas as manchetes da Petrobras e isso traz algum grau de preocupação", ponderou.

Beurden disse que, apesar da preocupação, ao analisar o plano de investimentos da Petrobras "fica claro que a prioridade é no pré-sal, onde as empresas têm investimentos conjuntos".

Mensagem

Segundo Beurden, o presidente Temer fez uma fala otimista e a mensagem passada pelo presidente brasileiro "ajuda a respaldar o Brasil como um lugar seguro para investimentos". "No momento nós temos investimentos programados de bilhões de dólares para o mundo todo. E queremos que a empresa se consolide como um dos maiores investidores diretos no Brasil", afirmou.

O executivo destacou anda que não veio fazer nenhum novo anúncio nem pedir algo ao governo brasileiro. "Viemos sublinhar a importância do Brasil." Segundo ele, Temer está sendo "bem assessorado" para trazer investimentos ao Brasil e sabe da importância de conseguir esses recursos para a retomada do crescimento. "As agendas do presidente e da indústria estão convergindo neste momento", afirmou.