20°
Máx
14°
Min

Buffett diz que Berkshire continuará prosperando, seja qual for o presidente

O bilionário Warren Buffett declarou neste sábado, durante o encontro anual realizado pela Berkshire Hathaway em Omaha, no Estado norte-americano de Nebraska, que a Berkshire Hathaway vai continuar prosperando e que os negócios nos EUA continuarão a se adaptar e prosperar independentemente de quem vencer as eleições presidenciais dos Estados Unidos. "Nenhum candidato presidencial ou presidente vai acabar com isso", afirmou. Buffett havia sido questionado por um investidor presente no encontro sobre qual seria o impacto para a Berkshire caso o republicado Donald Trump venha a ser eleito presidente dos Estados Unidos. O empresário tem declarado seu apoio à democrata Hillary Clinton.

No encontro, Buffett antecipou que o lucro líquido da Berkshire Hathaway no primeiro trimestre de 2016 cresceu 8%, para US$ 5,589 bilhões, acima dos US$ 5,16 bilhões em igual período do ano passado. No entanto, o lucro operacional da Berkshire Hathaway caiu para US$ 3,737 bilhões, ante US$ 4,244 bilhões no primeiro trimestre de 2015.

A divisão de seguros do grupo registrou lucro de US$ 1,132 bilhão nos três primeiros meses do ano, abaixo dos US$ 1,355 bilhão do primeiro trimestre de 2015, devido ao aumento de desastres naturais. Negócios dos segmentos ferroviário, utilitários e energia também tiveram lucro menor no primeiro trimestre, de US$ 1,225 bilhão, ante US$ 1,466 bilhão em 2015.

"O lucro da BNSF Railway no primeiro trimestre caiu significativamente", disse Buffet durante o evento. "É quase certo que cairá mais no restante do ano", complementou. De acordo com Buffett, o menor carregamento de carvão e de materiais empregados na extração do chamado "shale gas" levaram à queda no resultado da divisão ferroviária do grupo e devem afetar os resultados de 2016.

Buffett também defendeu o papel de sua empresa NV Energy após agências reguladoras norte-americanas terem aprovado o aumento da taxa para clientes que utilizam painéis solares em suas residências. Ele afirmou que pessoas com sistemas de energia solar têm permissão para vender energia a valores aproximadamente três vezes maiores que o preço de mercado da energia elétrica. Incentivadores de energia renovável têm criticado a medida, argumentando que os novos preços vão desencorajar investimentos em energia solar.

Em contrapartida, Buffett disse que os valores anteriores tinham o efeito de forçar outros contribuintes a subsidiar o pequeno grupo de pessoas que investiram em sistemas de energia solar.

Buffett foi acompanhado durante o evento pelo vice-presidente do grupo, Charlie Munger. Pela primeira vez, o encontro foi transmitido ao vivo pelo Yahoo Finance mas, ainda assim, a estimativa é de que dezenas de milhares de pessoas tenham comparecido à arena central de Omaha.

Um grupo de ambientalistas também compareceu ao local para demandar de acionistas que eles apoiassem a elaboração de um relatório sobre os riscos trazidos pelas mudanças climáticas às empresas de seguros da Berkshire Hathaway. Um dos membros do grupo Nebraskans pela Paz, Tim Rinne, admitiu que o pedido provavelmente não seria aprovado, pois Buffett se opõe à proposta e controla aproximadamente um terço dos votos do conselho.

Em sua carta aos acionistas, Buffett disse que é razoável a preocupação com os efeitos das mudanças climáticas no mundo, mas que a isso não deveria prejudicar empresas de seguros porque suas políticas de preços são fixadas anualmente com base nos riscos previstos para aquele ano. Fonte: Associated Press e Dow Jones Newswires.