27°
Máx
13°
Min

Captação líquida de fundos soma R$ 38,1 bilhões no ano até junho

A captação líquida da indústria de fundos de investimento no acumulado do ano até junho somou R$ 38,1 bilhões, de acordo com dados da Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (Anbima). O número representa aumento de 29,6% em relação ao visto um ano antes. Segundo a Anbima, os fundos de renda fixa e previdência seguem liderando as captações este ano.

"Com maior atratividade em 2016, captação líquida dos fundos de investimentos superam a dos últimos dois anos", de acordo com apresentação divulgada há pouco pela Anbima.

Para o vice-presidente da Anbima, Carlos Ambrósio, o processo de recuperação da indústria de fundos observada na primeira metade do ano deve continuar no segundo semestre. Segundo ele, hoje ainda há uma tendência de os investidores adotarem uma postura conservadora, levando à escolha de fundos de liquidez mais curta.

"A concentração ainda está muito grande em fundos conservadores, mas com um cenário mais claro poderemos observar um aumento da disposição (dos investidores) para começarem a fazer alocações mais estratégicas", observa. Segundo ele, esse fluxo de entrada de investimento mais estratégico e de mais longo prazo deverá começar com os fundos de renda fixa de maior duração, passando para os multimercados e, por último, para os fundos de ações. "Na bolsa há volatilidade e isso sempre gera resistência na alocação", disse.

Ambrósio destaca que uma mudança do perfil desses investimentos ainda necessita de uma maior clareza do cenário no Brasil.