22°
Máx
16°
Min

Com ajuda do petróleo, Bovespa registra maior nível em quase dois anos

A Bovespa pegou carona na recuperação do petróleo no mercado internacional e terminou em firme alta, no maior patamar em quase dois anos, desde setembro de 2014. O apetite dos investidores por ativos de risco foi instigado por declarações do ministro de Energia da Arábia Saudita, Khalid al-Falih, de que a Opep pode tomar algum tipo de ação para estabilizar os preços da commodity.

Em Nova York, a valorização do petróleo levou os índices Dow Jones, S&P 500 e Nasdaq a renovarem máximas históricas, enquanto por aqui o Ibovespa terminou acima dos 58 mil pontos pela primeira vez em 2016.

Os ganhos foram generalizados, mas impulsionados principalmente pelo avanço das ações da Petrobras, que subiram mais de 4,0%. O setor financeiro também deu força ao índice à vista, puxado pelo Banco do Brasil. O banco, que divulgou balanço referente ao segundo trimestre nesta manhã, trouxe resultados mistos, mas a perspectiva de um cenário melhor para o segundo semestre acabou conduzindo os papéis do setor financeiro como um todo.

Segundo operadores, o bom desempenho da Bovespa nesta quinta-feira, 11, tem também uma influência técnica; a proximidade do vencimento de Ibovespa Futuro, na próxima quarta-feira. Antes, na segunda-feira, tem exercício de opções sobre ações.

O Ibovespa encerrou o pregão desta quinta-feira em alta de 2,42%, aos 58.299,57 pontos, mais do que recuperando as perdas de 1,33% registradas na véspera. Esse é o maior patamar de fechamento desde 18 de setembro de 2014, quando marcou 58.374 pontos. O giro financeiro somou R$ 7,17 bilhões. No mês de agosto, a Bolsa tem ganho de 1,73%, enquanto no ano acumula valorização de 34,49%.

"Hoje tudo está conspirando a favor, o petróleo sobe bem em função da alta de mais de 4,0% do petróleo lá fora, Nova York está nos patamares recordes, os bancos em alta com uma visão de que no segundo semestre o cenário estará melhor... Essa melhora do humor ajuda e os investidores comprados aproveitam para levantar o Ibovespa antes do vencimento de índice futuro na quarta-feira", comentou um operador de renda variável, lembrando também que a próxima segunda-feira terá exercício de opções sobre ações.

As ações da Petrobras encerraram em alta de 3,95% (ON) e 4,67% (PN), entre os destaques positivos do Ibovespa. No exterior, os contratos futuros de petróleo subiram mais de 4,0% nesta quinta-feira, impulsionados pelas declarações do ministro de Energia da Arábia Saudita, Khalid Al-Falih.

Os comentários acontecem em meio a uma nova queda dos preços, que voltaram a se aproximar do patamar de US$ 40 por barril. Já as ações da Vale subiram 1,77% (ON) e 2,27% (PNA), alinhadas ao bom humor nos mercados internacionais.